PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • FENIX CAMARIN70

COLUNA

POLÍTICA

Valfrido Silva


Dourados continua crescendo como rabo de cavalo também na política

Publicado em : 25/01/2015


Como Dagoberto Nogueira está de volta à cena política, neste seu retorno ao Congresso Nacional, que Dourados se curve às evidências e dê a mão à palmatória, pela advertência não levada a sério lá atrás. Quando, na festa de lançamento da candidatura de Ari Artuzi à prefeitura, o deputado pedetista falava que Dourados precisava parar de crescer como rabo de cavalo, ele se referia à perda de investimentos, ante a inércia da administração petista de então. Agora, pelo desdém com que Reinaldo Azambuja trata os douradenses, tudo indica que está para começar um longo período de estagnação política.
 

Pulando a parte da chance perdida por Murilo Zauith de ser senador ou governador, para ficar no concreto da coisa, começando pela “representatividade” douradense na Câmara Federal saída das urnas nesta última eleição. De dois deputados, caindo para um. E isto porque o eleitor decidiu pela punição de apenas um dos uraganos, com Geraldo Resende, o mais encrencado deles, podendo ainda perder o mandato, caso seja condenado no Supremo Tribunal Federal pelo envolvimento com a quadrilha do finado Valdecir.
 

Com Murilo Dourados começa a transferir know-how político!".

Da representação (ponho ou não aspas?) na Assembleia Legislativa, o que obteve mais votos no município, Zé Teixeira, foi só o quarto entre os que os douradenses queriam ver deputados. Ou seja, se dependesse da vontade do eleitor da cidade polo do segundo maior colégio eleitoral do Estado, José Carlos Barbosa, João Grandão e George Takimoto teriam que ceder suas cadeiras a Délia Razuk, Laerte Tetila e Keliana Fernandes, pela ordem, os três que subiriam ao pódio.
 

Agora, como resultado dessa configuração aí, começando as especulações para a sucessão de Murilo Zauith na prefeitura. E aí a coisa é de doer. Não bastasse o mesmo Barbosinha, ex-prefeito de Angélica, agora em baixa pelo pouco retorno dos milhões jogados fora na cidade, aparecendo Renato Câmara, ex-prefeito de Ivinhema, tido como candidato do PMDB, com apoio de André Puccinelli e, a mais recente novidade, o cerealista caminhante Valdir Faleiros, que teria caído nas graças de Murilo Zauith por sua regular performance à pé entre Itaporã (onde toca seus negócios) e Dourados, para onde se mudou não faz muito tempo.
 

Mas nem tudo está perdido. Cansado pelas tantas boiadas abatidas a cada eleição, sem o esperado retorno, o deputado Zé Teixeira já ameaçou transferir seu título eleitoral para Caarapó, onde teria chances concretas de transformar em realidade seu sonho dourado de um dia se sentar numa cadeira de prefeito. Ainda mais agora, que, como representante douradense vê escorrer pelos vãos dos dedos a única chance que terá tido na vida de ser presidente da Assembleia. Também, e se sentindo traído por colegas peemedebistas, Marçal Filho não descarta a possibilidade de direcionar seu alô você mais para os lados de Itaporã, cidade onde sonha um dia fixar residência, quem sabe lá também podendo virar prefeito. Seria o caso de dizer: “Com Murilo” Dourados começa a transferir know-how político! Que rabo de cavalo, que nada, seu Dagoberto!

1

PUBLICIDADE
  • unigran orlando4
PUBLICIDADE
  • Tupy30
PUBLICIDADE
  • capitao hotal22
PUBLICIDADE
  • Tigre32