PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
22/01/2018 09h01 - Atualizado em 22/01/2018 12h11

Partidos já negociam aliança política em Mato Grosso do Sul

Correio do Estado


Marcelo Miglioli deseja disputar uma das vagas ao Senado - Foto: Valdenir Rezende / Correio do Estado

As negociações envolvendo aliança partidária já começaram em Mato Grosso do Sul. Os partidos políticos estão conversando com possíveis aliados e traçando o perfil de quem serão os componentes das chapas majoritárias. No PSDB, por exemplo, partido do governador Reinaldo Azambuja, uma das duas vagas do Senado, bem como a dos dois suplentes devem ser destinadas a aliados. A função de vice, no entanto, ainda é uma incógnita. 

Tradicionalmente, a função é do partido que detém a cabeça de chapa. Mas com a dificuldade desta campanha, esse costume pode mudar. Neste ano, além do fim das doações empresariais (medida já adotada no último pleito), os candidatos terão menor tempo para divulgar seus planos de governo. A propaganda eleitoral em rádio e TV terá a duração de 35 dias, enquanto a campanha de rua não poderá ultrapassar 45 dias. (Anteriormente, a campanha durava 45 dias na mídia e 90 dias nas ruas).





PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE