PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
30/10/2018 09h47

Lopetegui é demitido após humilhação para o Barcelona e seis derrotas em 14 jogos

ESPN


Julen Lopetegui foi humilhado pelo Barcelona Getty Images

Começou com uma derrota para o Atlético de Madrid e terminou com humilhação diante do Barcelona, por 5 a 1, a trajetória de Julen Lopetegui no comando do Real Madrid.

 

O basco, de 52 anos, não é mais o técnico do atual campeão europeu. O atropelo sofrido para o maior rival, no último domingo, foi apenas o ápice de um trabalho ruim, iniciado na pré-temporada europeia de verão. Assim, dura menos de três meses a passagem pelo clube do primeiro técnico merengue da era pós-Cristiano Ronaldo.

 

A demissão foi confirmada nesta segunda-feira, em comunicado oficial. "Esta decisão, tomada com máxima responsabilidade, tem como objetivo mudar a dinâmica em que se encontra a equipe principal, quando ainda são atingíveis todos os objetivos desta temporada."

 

"A direção entende que existe uma grande desproporção entre a qualidade do elenco do Real Madrid, que conta com oito jogadores indicados à próxima Bola de Ouro, algo sem precedentes na história do clube, e os resultados obtidos até agora", segue o texto.

 

Lopetegui deixa o comando do time com 14 jogos, seis vitórias, seis derrotas e dois empates - somando confrontos pelo Campeonato Espanhol, a Champions League e a Supercopa da Uefa. Um aproveitamento de 47,6% dos pontos.

 

Na Espanha, a chegada do italiano Antonio Conte, ex-Chelsea, chegou a ser dada como certa, mas o negócio esfriou. O argentino Santiago Solari, técnico do Real Castilla, time B do clube, assumirá como interino, ao menos no jogo da próxima quarta-feira (31), contra o Melilla, pela Copa do Rei.

 

CONFUSÃO

Julen Lopetegui já chegou a Madri sob o signo da discórdia. Técnico da seleção da Espanha, o treinador teve sua contratação anunciada pelo clube às vésperas da estreia da Roja na Copa do Mundo. Descontente, Luis Rubiales, presidente da Real Federação Espanhola, o demitiu, colocando o auxiliar Fernando Hierro em seu lugar.

 

Apresentado no Real Madrid, pelo presidente Florentino Perez, menos de 24 horas depois de deixar a seleção espanhola, Lopetegui chorou muito ao discursar.

 

“Desde a morte de minha mãe, ontem foi o dia mais triste da minha vida. Mas hoje é o mais feliz, porque sou o técnico do Real Madrid”, disse, em 14 de junho, há pouco mais de três meses.

 

Na ocasião, Florentino e Julen estavam alinhadíssimos na defesa de suas condutas na transferência do técnico para o clube. Ambos eram acusados de falta de ética pelo fato de terem negociado enquanto Lopetegui ainda dirigia o time nacional.

 

TRAJETÓRIA

A trajetória de Lopetegui no comando da equipe começou com uma derrota para o Atlético de Madrid, na final da Supercopa da Uefa, em Tallin, na Estônia. De virada, os merengues foram superados por 4 a 2 pelo maior rival da capital, em 15 de agosto.

 

No Espanhol, o primeiro jogo, contra o Getafe, foi uma vitória por 2 a 0. Na Champions League, onde o clube defende o título, a primeira partida dele no clube foi um 3 a 0 sobre a Roma.

 

Logo, porém, a equipe começou a dar sinais de queda. Em LaLiga, perdeu para o Sevilla, por 3 a 0; para o Alavés, pelo mesmo placar; e para o Levante, por 2 a 1. Na Champions, caiu diante do CSKA, em Moscou, por 1 a 0, e suou para superar o Viktoria Plzen, por 2 a 1, na última quarta.

 

Além dos resultados, as rusgas do treinador basco com a direção do clube também minaram o treinador. Aposta pessoal do presidente do clube, o brasileiro Vinícius Jr. não conquistou o técnico e acabou sendo relegado de diversas convocações da equipe - constantemente atuando pelo time B.

 

No clássico contra o Barcelona, mesmo liberado após briga jurídica, o jogador não foi nem sequer relacionado para o banco de reservas - o que certamente não deixou contente a direção do clube.





PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE