PUBLICIDADE
Caarapó

Mercedes confirma retorno de Schumacher à F-1

| FOLHA


O piloto alemão Michael Schumacher decidiu largar a aposentadoria e retornar à F-1 em 2010 com a Mercedes, equipe que comprou a Brawn GP. O anúncio foi feito pela Mercedes nesta quarta-feira.
 

Schumacher, que completará 41 anos em 3 de janeiro, deve receber um salário de sete milhões de euros na temporada de 2010, que começa no dia 14 de março com o GP do Bahrein.
 

Sete vezes campeão do mundo na F-1, ele disputou sua última prova na categoria no GP Brasil, no circuito de Interlagos, em 2006.
 

À frente da Mercedes está Ross Brawn, que foi o chefe de engenharia de Schumacher na Benetton e depois na Ferrari.
 

Em 2009, Schumacher esteve prestes a voltar à F-1 pela Ferrari. O ex-piloto foi anunciado como substituto de Felipe Massa, que sofreu um acidente no GP da Hungria. Mas desistiu do retorno após sentir dores no pescoço durante os testes.
 

Depois de decidir se aposentar, Schumacher trabalhou como consultor da Ferrari, sua antiga equipe na F-1. O fato de querer retornar às corridas por outra escuderia havia sido comentado pelo presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo, que revelou também uma certa mágoa com o alemão.
 

"O verdadeiro Schumacher, único que conheço, sempre será da família Ferrari. Então, deve ser um irmão gêmeo idêntico que está com a ideia de correr pela Mercedes", falou Montezemolo na semana passada.
 

O dirigente ferrarista também tinha contado que a vontade do alemão de correr pela Mercedes era "muito, muito, muito forte".
 

Na terça-feira, o site do jornal alemão "Bild" noticiou que o heptacampeão já tinha realmente acertado a sua volta à F-1 --informação que foi confirmada pela Mercedes hoje.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE