PUBLICIDADE
Geral

Homem vinga morte do filho após 13 anos e mata presidiário

| FOLHA


O presidiário Nilton Batista do Nascimento, 42, foi morto na manhã de quarta-feira (23), na periferia de São Carlos (a 232 km de São Paulo). O acusado de ser o autor do crime é o comerciante Aguinaldo de Souza Lima, 62, que, segundo a polícia, afirmou ter vingado a morte de um filho que foi assassinado há aproximadamente 13 anos por Nascimento.
 

O crime ocorreu em um parque infantil localizado no bairro Cidade Aracy. Depois do crime, Lima se apresentou à polícia na cidade vizinha de Ibaté, foi preso e levado a São Carlos.
 

Nascimento cumpria pena na penitenciária de Guareí. A mulher do presidiário, Sílvia Ivone Ferreira Araújo, 34, confirmou que ele estava preso por ter matado o filho de Lima. Ela disse que o crime, ocorrido há 13 anos, foi motivado por uma briga em um bar do bairro.
 

O presidiário havia deixado a penitenciária na terça-feira para passar o fim de ano com a família, em São Carlos. A mulher dele disse que, quando foi morto, Nascimento estava com um dos seus dois filhos no parque do Cidade Aracy.
 

"Eles estavam no parquinho e, de repente, esse homem apareceu lá e deu um tiro nele", afirmou. Ela contou que, segundo testemunhas, o marido ainda tentou fugir, mas foi baleado novamente, não resistiu aos ferimentos e morreu.
 

A mulher da vítima disse ainda que Nascimento voltaria para a penitenciária no dia 4 de janeiro. "Ele tinha passado o feriado de Finados com a gente e tinha voltado agora para o Natal", afirmou.
 

De acordo com a Polícia Militar de São Carlos, a tese de vingança pela morte do filho foi confirmada por Lima como a motivação para o crime, depois que ele se entregou.
 

A polícia não soube informar os detalhes do crime ocorrido há cerca de 13 anos, mas a mulher da vítima também disse que já havia "ouvido falar" sobre o juramento de vingança contra o marido.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE