PUBLICIDADE
Geral

Sertanejo de Mato Grosso do Sul ganha o Brasil

Este ano foi de projeção de artistas sertanejos de Mato Grosso do Sul no cenário nacional

| CAMPO GRANDE NEWS


Este ano foi de projeção de artistas sertanejos de Mato Grosso do Sul no cenário nacional. De antigos conhecidos do público do Estado, como Tradição e João Bosco & Vinicius, a novatos como Maria Cecília & Rodolfo e Luan Santana.


O grupo, as duas duplas e o cantor solo foram conhecidos e reconhecidos pelo público de todo o País. O Tradição e a dupla João Bosco & Vinicius ficaram conhecidos também no meio internacional com a indicação para o Grammy Latino.


Maria Cecília & Rodolfo foram trilha da novela global Paraíso, ambientada no meio rural. Ancorada em uma estratégia de marketing que lembra a de empresas, a dupla anunciou até em jogos de futebol da Copa do Brasil transmitidos pela tv e, no fim de ano, usou outdors para agradecer ao publico do Estado o sucesso e desejar feliz ano novo. Pudera: os dois já tem agenda lotada até outubro de 2010.


Já Luan Santana, que também despontou nacionalmente este ano, é “voz” carimbada em comerciais de divulgação da gravadora Som Livre.


Tradição - O Grupo tem 14 anos de existência. O sucesso veio com apresentações em bailes e bares da Capital e do Interior. Depois, o som dançante do grupo contagiou Estados vizinhos e o País, e rendeu gravações com artistas nacionais, como Bruno e Marrone, que já fizeram show em Campo Grande com o Tradição.


Este ano, dois músicos que estiveram desde o início com o grupo partiram para carreira solo, entre eles o vocalista, Michel Teló. Outros dois entraram.


Com a nova formação, o grupo lançou o 10º álbum da carreira: Caixinha de Surpresa. O disco ainda não foi lançado em Campo Grande.


O Grupo Tradição foi indicado ao Grammy Latino na categoria “Melhor Álbum de Música de Raízes Brasileiras - Regional Nativa”.


João Bosco & Vinicius - A dupla é de Coxim e veio para Capital para estudar e alcançar o sucesso na música.


O entrosamento deu tão certo que neste ano, ao lado de Maria Cecília & Rodolfo, viraram trilha de novela da Rede Globo. A agenda dos sertanejos está lotada e eles estão entre as atrações do especial de fim de ano da Rede Globo para a noite da virada, junto com artistas de renome nacional há vários anos.


Assim como o Tradição, a dupla também concorreu ao Grammy Latino, na categoria Melhor Álbum de Música Sertaneja, com o álbum Curtição.


Maria Cecília & Rodolfo - Os dois colegas do curso de Zootecnia da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) começaram a cantar juntos nos corredores da instituição, há menos de cinco anos.


Depois, passaram a animar festas de amigos e passaram a levar a música mais a sério. Foi então que começaram a ensaiar e a tocar em barzinhos.


Gravaram um CD e DVD de divulgação e então alçaram voo. “O repertório é bom. É um casal, e não dois homens, como é mais comum no sertanejo. O trabalho deles é muito bom”, diz Eduardo Maluf, sobre a “receita” do sucesso ‘lá fora’.


Maluf explica que a dupla é mais conhecida e reconhecida em outros Estados do que em Mato Grosso do Sul. Ele acredita que isso seja resultado do trabalho de divulgação de mídia e da competência dos cantores e produtores, como Ivan Myazato.


Um exemplo do sucesso dos amigos em outros Estados, é a gravação do primeiro CD e DVD, em Goiânia. A produção teve que mudar de local várias vezes porque os ingressos se esgotavam e havia muita procura.


Luan Santana - Em apenas três anos, o adolescente Luan Santana, 17 anos, saiu de uma gravação amadora, feita por brincadeira, para um cachê de pelo menos R$ 40 mil por show.


O sucesso do ‘gurizinho’ é principalmente entre o público adolescente. As meninas o ‘amam’ e os meninos acompanham as apresentações.


‘Falando sério’ foi a primeira música gravada por ele. Após o sucesso de ‘Luan Santana, que fazia participações com outros cantores, lançou o álbum intitulado ‘To de cara’, com 11 músicas. Apesar da participação de outros cantores, a maior parte das faixas é de composição dele.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE