PUBLICIDADE
Caarapó

Latrocidas queriam taxistas de Dourados

| DOURADOSAGORA


A dupla acusada de latrocínio (roubo seguido de morte) contra o taxista Antônio Francisco Andrade, de 65 anos, conhecido como "Antônio da Funerária", planejava executar o crime contra taxistas de Dourados.
 

Em depoimento na delegacia do DOF de Dourados, os acusados, Anderson Pedro Moraes, de 21 anos, morador em São José, distrito de Vicentina e José Luciano Irineu dos Santos Sobrinho, de 18, morador em Culturama, distrito de Fátima do Sul, disseram que na noite do crime, estiveram em Dourados ligaram para pelo menos quatro taxistas de Dourados. Na ocasião nenhum deles aceitou o serviço. Diante do fato, eles  decidiram voltar para Fátima do Sul e acionar Antônio.
 

A escolha de Dourados está relacionada, segundo eles a proximidade com a fronteira, facilitando o trabalho de venda do veículo roubado.
 

Conforme noticiou o Douradosagora, equipes do Departamento de Operações de Fronteira (Dof), Delegacia de Fronteira (Defron),  Polícia Civil e Militar de Fátima do Sul, aprenderam os dois na manhã desta quarta-feira, por volta das 11h. 
 

 De acordo com informações policiais, eles foram localizados em Culturama. Segundo a polícia, a dupla confessou a suspeita de latrocínio (roubo seguido de morte). Após executar Antônio, eles levaram o taxi. O veículo santana, de cor branca, com placas BWR 4245 de Fátima do Sul, teria sido vendido no Paraguai por R$ 2 mil.
 


O corpo da vítima foi localizado ontem em uma estrada vicinal na linha do Protrerito, entre Caarapó e Fátima do Sul. A polícia chegou até o corpo após localizar o aparelho celular da vítima a 3 quilômetros de distância. Antônio estava desaparecido desde o último dia 4. Ainda em depoimento, a dupla informou que matou a vítima a socos e chutes. Eles disseram ainda que após derrubar a vítima eles pularam em cima da cabeça dele por várias vezes, até o afundamento de crânio. Eles disseram ainda que mataram porque ficaram com medo de que a vítima  reconhecesse a dupla posteriormente após o assalto.
 

José Luciano disse que efetuou o crime porque precisava de dinheiro para comprar roupas para ingressar no Exército. Já Anderson confessou ainda ter furtado um veículo Gol prata, no mês de dezembro do ano passado. Diante disso, a polícia não descarta que a possibilidade da dupla estar envolvida em outros crimes em Dourados.  (Informações de Sidnei Bronka)
 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE