PUBLICIDADE
Caarapó

Caarapó tem três focos de ferrugem asiática

Grande parte dos focos surgiu no começo deste mês por causa do excesso de chuva

| CAARAPONEWS COM INFORMAçõES MARLI LANGE


Os produtores rurais estão em estado de alerta. Em Mato Grosso do Sul já são 149 registros de focos de ferrugem asiática que apareceram nas lavouras de soja nesta safra. Grande parte dos focos surgiu no começo deste mês por causa do excesso de chuva. Em Caarapó foram feitos três registros de focos até agora, segundo informação divulgada pelo Consórcio Antiferrugem.
 


As outras cidades onde foram registrados focos são: Dourados com sete focos; Maracaju 2; Aral Moreira 7; Laguna Carapã 3; Ponta Porã 4; São Gabriel do Oeste 10; Água Clara 2; Costa Rica 18; Alcinópolis 2, e Chapadão do Sul, com 91 focos detectados até agora.
 
De acordo com a Embrapa Agropecuária Oeste, as chuvas e o clima quente e úmido aumentam as condições para a ocorrência de doenças nas lavouras de soja, especialmente a ferrugem asiática.

O fitopatologista da Embrapa Agropecuária Oeste, Alexandre Roese, alerta que o produtor deve ficar atento, principalmente, nessa época. "Não se pode descuidar do monitoramento da lavoura, tanto quanto à ferrugem da soja, quanto a outras doenças como DFC, antracnose e mancha-alvo", diz.
 
Ele destaca a necessidade de se manter os pulverizadores revisados e regulados, caso seja necessária a aplicação de fungicidas. "Diferente das últimas duas safras, na atual, o clima tem sido mais favorável para o desenvolvimento da soja, mas também para o aparecimento de doenças", conclui Alexandre.
 
Em Caarapó e Dourados, as primeiras lavouras de soja plantada já estão em fase de aparecimento dos primeiros grãos. As mais novas ainda estão em fase de floração, estágio em que favorece o aparecimento da ferrugem.
 
O representante da Associação dos Engenheiros Agronômos da Grande Dourados, Luiz Renato Cavalheiro, comenta que o período longo de chuva que se estende na região tem aumentado muito as chances do aparecimento da ferrugem. "Existindo o inoculo, com seis horas de molhamento folhar são condições favoráveis para o aparecimento da doença e isso vem acontecendo diariamente",destacou. A solução é fazer monitoramento constante e aplicar fungicida.
 
Mesmo com a preocupação com a ferrugem, os produtores estão otimistas com a produção da soja nesta safra em função do ciclo de chuva, que não tem faltado no município na avaliação dos técnicos da área.
 

  De acordo com a Comissão de Agricultura do Sindicato Rural, a área plantada em Caarapó é de 76 mil hectares, sendo que a produção esperada é de 3 mil quilos por hectare, perfazendo um total de 228 mil toneladas. As primeiras lavouras devem começar a ser colhidas a partir do dia 15 de fevereiro, se estendendo até março.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE