PUBLICIDADE
Caarapó

Sindicato Rural de Caarapó manifesta apoio à Famasul contra o aumento abusivo da alíquota do Fundersul

| ASSESSORIA


O presidente do Sindicato Cacá (D), com o presidente da Famasul, Mauricio Saito e Marcelo Bertone. Foto: Divulgação

Os membros da diretoria do Sindicato Rural de Caarapó devem se reunir  essa semana para discutir os impactos provocados pelo aumento  da alíquota do Fundersul proposto pelo governo de Mato Grosso do Sul. A entidade sindical de Caarapó já manifestou total apoio por meio de seu presidente Carlos Eduardo Marcedo Marquez o “Cacá”, à Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de MS) e a Aprosoja/MS (Associação dos Produtores de Soja de MS), para lutar em prol da classe produtora que serão os mais penalizados caso a medida seja aprovada.

Segundo noticiado pela imprensa o projeto que propõe  aumento de alíquotas referentes ao Fundersul (Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário de MS) será encaminhado para apreciação da Assembleia Legislativa.

A preocupação da  Famasul e a Aprosoja/MS é que esse aumento vai impactar diretamente os produtores rurais. O posicionamento do presidente do Sindicato Rural de Caarapó, é que essa medida do governo pode desestabilizar a economia de quem produz.

“Sabe-se que agropecuária é responsável por pelo menos 30% do Produto Interno Bruto (PIB) e 95,2% das exportações sul-mato-grossenses, gerando emprego, renda e divisas para o estado de Mato Grosso do Sul. O que nós preocupa ainda mais é que essa medida do governo chega no momento critico de estiagem em que muitos produtores enfrentam perdas”, disse Cacá.

Para tentar frear  o ou tirar o projeto da pauta de votação, os Sindicatos Rurais vão se organizar para uma grande mobilização. Segundo informou Cacá, o presidente da Famasul, Mauricio Saito, apresentou, já encaminhou ofício ao presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, Paulo Corrêa, apresentando os impactos negativos que o projeto de lei, processo 00451/2019, pode proporcionar ao setor agropecuário do estado.

O Sindicato Rural de Caarapó pede aos seus associados que fiquem atentos, caso o projeto não seja retirado da pauta a Famasul deve  se organizar para uma mobilização de todos Sindicatos na Assembleia Legislativa no dia da votação. “Este é um momento muito importante e precisamos estar unidos, pois quem produz alimento e gera empregos não pode receber mais este aumento  tributário”, disse Cacá.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE