PUBLICIDADE
Geral

Justiça de SP nega pedido de liberdade a Zina, do

| MIDIAMAX


A Justiça de São Paulo negou o pedido de liberdade provisória solicitado pela defesa ao humorista Marcos da Silva Herédia, 27, conhecido como Zina, integrante do programa "Pânico na TV". Após a decisão, a defesa do comediante entrou com um pedido de habeas corpus para tentar a liberdade de Zina.


 

Segundo informações do Tribunal de Justiça, a decisão que manteve o humorista na cadeia foi tomada pelo Dipo (Departamento de Inquéritos Policiais e Polícia Judiciária), mas a assessoria do órgão não soube informar quem foi o juiz responsável ou quando foi tomada a decisão.
 

Zina está preso desde sábado (16), quando foi flagrado com uma arma na rua Capela da Lagoa, no bairro Panamericano, após uma denúncia anônima sobre um homem que estava atirando na região. O humorista não resistiu à prisão.
 

De acordo com a SSP (Secretaria de Segurança Pública), policiais militares encontraram cinco cápsulas deflagradas em um terreno próximo à casa do humorista. O revólver e as cápsulas apreendidas passarão por uma perícia para esclarecer se os disparos saíram da arma de Zina.
 

Ainda de acordo com a secretaria, a ocorrência foi registrada como posse ou porte ilegal de arma de uso restrito --o crime é inafiançável. Na última segunda-feira, Zina foi transferido para o CDP (Centro de Detenção Provisória) Pinheiros 3.
 

Zina já havia sido detido em outubro do ano passado após ser flagrado com um pino de cocaína (cápsula que contém cerca de um grama da droga). Na época, ele foi encaminhado para a delegacia para a elaboração de um Termo Circunstanciado --espécie de boletim de ocorrência-- e depois foi liberado.

 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE