PUBLICIDADE
Caarapó

Júri condena a 16 anos 3º acusado pela morte de Morel

| CAMPOGRANDENEWS


O terceiro acusado pelo assassinato de João Morel, ocorrido em 21 de janeiro de 2001 dentro da Penitenciária de Segurança Máxima de Campo Grande, Marcos Rogério de Lima, o Rogerinho, foi condenado a 16 anos de prisão em regime fechado.



O júri popular, presidido pelo juiz Carlos Alberto Garcete, o condenou por homicídio doloso, com os agravantes de motivo torpe, utilização de meio cruel e ter impossibilitado a defesa da vítima.



O quarto acusado, Mauro Sérgio de Oliveira, o Maurinho, teve o julgamento antecipado de 9 de fevereiro para esta quinta-feira, 28 de janeiro, às 8h, em Campo Grande. Eles foram julgados após vários adiamentos. Uma das causas foram os assassinatos das testemunhas do crime: cinco pessoas foram mortas nos últimos nove anos.



Julgamentos – O primeiro a ser condenado foi Odair Moreira da Silva, o Marreta, que teria executado Morel com golpes de chucho. Ele foi condenado em 2004 a 16 anos de prisão.



O segundo foi o narcotraficante Luís Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, condenado em dezembro do ano passado a 15 anos de reclusão. Ele foi considerado mandante do crime. Morel era adversário de Beira-Mar na fronteira do Paraguai com o Brasil no comando do tráfico de drogas.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE