PUBLICIDADE
pelo mundo

Funeral de general morto em ataque reúne milhares em Bagdá

O ataque dos Estados Unidos que resultou na morte de Soleimani, Abu Mahdi e outros aumentou a tensão entre o país e o Irã

| TERRA


Milhares de pessoas acompanham neste sábado (4) em Bagdá, no Iraque, o funeral e velório de Qasem Soleimani Foto: Thaier al-Sudani / Reuters

Milhares de pessoas acompanham neste sábado (4) em Bagdá, no Iraque, o funeral e velório de Qasem Soleimani, general morto em ataque coordenado pelos Estados Unidos. 

Outros cinco líderes também mortos no mesmo ataque , entre eles o comandante iraquiano Abu Mahdi al-Muhandis, estão sendo velados. O corpo de  Soleimani seguirá para o Irã, onde será enterrado. 

As pessoas que participam do funeral vestem preto e carregam bandeiras iraquianas e de outras milícias apoiadas pelo Irã. Há gritos de "morte à América" e queima de bandeiras dos Estados Unidos.

O ataque dos Estados Unidos que resultou na morte de Soleimani, Abu Mahdi e outros aumentou a tensão entre o país e o Irã. 

Ontem, o presidente Donald Trump afimrou que ordenou a ação com o objetivo de "evitar uma guerra". 

Antes do funeral, um novo ataque aéreo americano visou na manhã de sábado, noite de sexta no Brasil, um comandante da milícia iraquiana pró-Irã Hashd al-Shaabi, no norte de Bagdá, segundo a TV estatal.

Teerã disse à ONU que tem direito a legítima defesa. O embaixador do Irã nas Nações Unidas Majid Takht Ravanchi escreveu numa carta que o assassinato de Suleimani “por qualquer medida, é um um óbvio exemplo de terrorismo de Estado e, como um ato criminoso, constitiui uma violação grosseira dos princípios fundamentais do direito internacional”. 

Os Estados Unidos estão enviando quase 3.000 soldados do Exército para o Oriente Médio.

Com Reuters e agências internacionais


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE