PUBLICIDADE
Caarapó

“Se Ministério enviar menos de R$ 15 milhões é porque não respeita MS”, diz André

| MIDIAMAX / CHICO JúNIOR E PAULO XAVIER



O governador André Puccinelli disse que o Ministério da Integração Nacional vai divulgar nesta quinta-feira o valor que será liberado para auxiliar as cidades de Mato Grosso do Sul que tiveram prejuízos e não tiveram infraestruturas suficientes para suportar as chuvas deste mês. A expectativa é que seja disponibilizado para obras emergenciais entre R$ 10 milhões a R$ 15 milhões, segundo disse hoje de Brasília (DF), o coordenador da bancada federal, deputado Waldemir Moka (PMDB).

 

Mas, pelos cálculos do governo estadual o ideal para resolver os problemas dos municípios seria R$ 22 milhões.

 

 “Dependo do valor que for disponibilizado, nós teremos que completar. Mas se o ministério liberar menos de R$ 15 milhões é porque não respeita Mato Grosso do Sul”, afirmou Puccinelli, que participa na noite desta quarta-feira do lançamento do livro “Panorama Industrial de Mato Grosso do Sul – 2009”, no espaço Yotedy, em Campo Grande.

 

Só para o município de Novo Horizonte do Sul são necessários R$ 15 milhões, outros R$ 7 milhões seriam divididos entre Aquidauana, Coxim, Miranda e Ivinhema.

 

No Planalto 

André Puccinelli esteve reunido nesta quarta-feira (27) com o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, para solicitar recursos emergenciais e atender os municípios mais atingidos pelas chuvas do começo de janeiro. De acordo com Puccinelli, o dinheiro deverá ser liberado o mais rápido possível. “Dependo da burocracia no máximo 30 dias o dinheiro já estará disponível”, explicou.

 

Devido ao caráter urgencial a verba já está prevista no orçamento anual e não depende de medida provisória.

 

Participaram da audiência no Ministério os secretários Edson Giroto (Obras) e Carlos Marun (Habitação); deputados federais Geraldo Resende e Vander Loubet; os prefeitos Fauzi Suleimann (Aquidauana), Dinalva Mourão (Coxim), Renato Câmara (Ivinhema), Neder Vedovato (Miranda) e Marcílio Alvaro Benedito (Novo Horizonte do Sul); chefe da Defesa Civil do Estado, coronel Ociel Ortiz Elias.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE