PUBLICIDADE
Política

Representação do PSL contra Coronel David é arquivada

| CORREIO DO ESTADO


Isolado no partido, David ingressou com um processo no Tribunal Regional Eleitoral do Estado de Mato Grosso do Sul (TRE-MS) pedindo desfiliação do PSL por justa causa - Foto: Luciana Nassar/ ALMS

A representação do PSL-MS contra o deputado estadual Coronel David foi arquivada pela Executiva Nacional do partido. O documento da executiva estadual, presidido pela senadora Soraya Thronicke, e levado para a Comissão de Ética pontuava que o parlamentar está mais ligado ao presidente Jair Bolsonaro - que deixou o partido e pretende criar o Aliança pelo Brasil - e não a agremiação. 

Ainda de acordo com texto de Thronicke “o mandato do deputado possui interesses ideológicos diversos do defendido pelo partido, contrariando as diretrizes a anseios despendidos pela executiva estadual e nacional bem como a liderança da bancada do PSL na Asssembleia Legislativa e principalmente oerante a sociedade com manifestações desagregadoras perante a imprensa estadual”.

O deputado poderia ser punido pelo partido e até mesmo expulso, perdendo o mandato. A dificuldade de diálogo entre Soraya e David vem sendo veiculada pela imprensa desde 2018, quando durante a eleição a senadora, então candidata, registrou um boletim de ocorrência contra o então presidente da sigla, Rodolfo Nogueira, e principal aliado de David dentro da agremiação. 

A situação piorou quando Soraya foi designada presidente estadual pelo chefe nacional, Luciano Bivar, e ainda colocou o deputado Capitão Contar como presidente municipal do partido, declarando ainda apoio a ele para concorrer a prefeitura de Campo Grande, cargo a qual David também tem interesse de disputar e seria o candidato do presidente Bolsonaro.

Contar já foi destituído da presidência do PSL Campo Grande e quem assumiu foi o deputado federal e também aliado de Soraya, Loester Trutis. A nova diretoria foi instituída no dia 1º de janeiro e tem validade até 31 de dezembro deste ano. Segundo Soraya declarou na imprensa, o motivo do deputado sair da executiva é porque precisa se preparar para concorrer a prefeitura da Capital.  

Isolado no partido, David ingressou com um processo no Tribunal Regional Eleitoral do Estado de Mato Grosso do Sul (TRE-MS) pedindo desfiliação do PSL por justa causa, ainda sem definição da Justiça. 

O processo interno contra o deputado será arquivado no partido. Conforme a ata assinada pelo presidente Luciano Bivar registra que o presidente colocou em votação os pareceres do Conselho de Ética, Fidelidade e Disciplina Partidária e “deliberou por declinar a competência nas representações 20, 22 e 23”.

Sendo o de número 20 a representação da Comissão Executiva Estadual do PSL de Mato Grosso do Sul contra o Carlos Alberto David do Santos - o Coronel David. No mesmo documento foram punidos 19 integrantes do partido, entre eles o deputado federal e filho do presidente, Eduardo Bolsonaro.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE