PUBLICIDADE
Dourados

Suspeito de comandar furtos em fazendas é preso durante operação

Casado com uma mulher índia, Carlos Fischer, 41, mora em casa de alto padrão na aldeia Jaguapiru, onde mantém uma oficina mecânica e uma cascalheira

| CAMPO GRANDE NEWS


Viaturas do SIG e da Força Nacional em frente à casa de investigado; casado com indígena, homem mora na reserva de Dourados (Foto: Adilson Domingos)

Suspeito de comandar furtos de maquinário, implementos agrícolas, caminhões e agrotóxicos em propriedades rurais da região sul foi preso nesta segunda-feira (17) em Dourados. Casado com uma mulher índia, Carlos Fischer, 41, mora em casa de alto padrão na aldeia Jaguapiru, onde mantém uma oficina mecânica e uma cascalheira. O local é vigiado por avançado sistema de monitoramento por câmeras.

Ele foi preso em flagrante por crime ambiental na operação Amigo do Campo, desencadeada hoje por policiais do SIG (Setor de Investigações Gerais) com apoio do DOF (Departamento de Operações de Fronteira) e Força Nacional.

De acordo com o delegado Rodolfo Daltro, chefe do SIG em Dourados, nos últimos seis meses a polícia registrou vários furtos em propriedades rurais de Dourados e municípios vizinhos, de onde foram levados caminhões, máquinas agrícolas, implementos e agrotóxicos.

Com antecedentes criminais por vários crimes, inclusive tráfico de drogas, Carlos Fischer entrou na mira da polícia como suspeito de liderar a onda de furtos em fazendas. Nesta manhã, mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça foram cumpridos na casa dele, ao lado da Escola Municipal Tengatuí Marangatú, na oficina e na cascalheira, também localizadas na Aldeia Jaguapiru.

No local foram apreendidos agrotóxicos sem procedência definida e armazenados de modo irregular, o que levou à prisão em flagrante do suspeito por crime ambiental. Caminhões encontrados nos locais inspecionados por policiais do DOF apresentam indícios de adulteração, já que a numeração dos motores que não coincide com o chassi. Todos os veículos e documentos foram apreendidos e levados para perícia.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE