PUBLICIDADE
expectativa

Marfinense Yaya Touré se torna nova aposta do Botafogo

| BAND


Yaya Touré fez sucesso no Manchester City e também passou pelo Barcelona (Foto: Phil Noble/Reuters)

Depois de contratar o meia japonês Keisuke Honda, o Botafogo aposta agora no marfinense Yaya Touré, ex-Manchester City e ex-Barcelona. As chances de acordo podem ter aumentado com a ajuda de Paulo Autuori, que teve uma conversa direta com o jogador a respeito do próprio clube e do dia a dia no Rio de Janeiro.

"Falei com ele. É importante o treinador falar com o jogador", diz o treinador, acostumado a ter essas conversas mais sinceras com os jogadores que negocia. Ele já havia feito o mesmo quando era dirigente do Athletico-PR. Na ocasião, falou abertamente com o argentino Lucho González, que acabou concretizando o acerto com o time de Curitiba.

Para Autuori, o bate-papo é essencial para o possível reforço ter consciência da situação que encontrará no novo clube. "O papo foi reto, quis mostrar a realidade do Brasil como País, a realidade do Rio de Janeiro como cidade. O ridículo calendário brasileiro que temos e como o jogador às vezes não consegue se preparar corretamente", revela.

O treinador acredita que, desta forma, abre caminho para uma negociação mais aberta com Touré. "Mostrei a situação real. Porque amanhã ou depois, se concretiza, ele sente que nós não falamos a verdade. Isso tem que ser falado de maneira real. Ele falou que está muito animado e ficou feliz com a nossa conversa", afirma Autuori.

Se Touré aceitar a proposta do Botafogo, será o segundo reforço de peso do clube carioca para esta temporada. Honda, com passagens pelo Milan e pela seleção japonesa, foi confirmado no fim de janeiro. Mas ainda não tem data de estreia com a camisa botafoguense.

O time, por sinal, só voltará a jogar no dia 1º de março, contra o Boavista, pela primeira rodada da Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Carioca. Fora da disputa final da Taça Guanabara, o time avançou à terceira fase da Copa do Brasil na noite desta quarta, ao eliminar o Náutico nos pênaltis por 4 a 3, após empate por 1 a 1 no tempo normal, no Recife.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE