PUBLICIDADE
Dourados

Médico tem mais um pedido de liberdade negado, desta vez no STF

Vidigal é acusado de comandar esquema de corrupção que teria desviado cerca de R$ 530 mil da saúde pública do município

| CAMPO GRANDE NEWS


Renato Oliveira Garcez Vidigal é e ex-secretário municipal de Saúde de Dourados. (Foto: Facebook)

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio Mello, negou o pedido de habeas corpus feito pela defesa do médico e ex-secretário municipal de Saúde de Dourados, Renato Oliveira Garcez Vidigal. O recurso ainda será julgado pela primeira turma do STF, que é composta pelos ministros Luiz Fux, Luiz Roberto Barroso, Alexandre de Moraes, Rosa Weber e o próprio Marco Aurélio.

Vidigal é acusado de comandar esquema de corrupção que teria desviado cerca de R$ 530 mil da saúde pública do município. Ele está preso desde o dia 6 de novembro do ano passado e, atualmente, ocupa a cela 89 do raio I da PED (Penitenciária Estadual de Dourados), o chamado “raio dos trabalhadores”.

Na última terça-feira (18), a 6ª turma do STJ (Superior Tribunal de Justiça), seguiu voto do relator Nefi Cordeiro e por unanimidade negou agravo regimental impetrado pelos advogados do médico.
Em dezembro, Nefi Cordeiro já tinha negado o pedido de liberdade ao ex-secretário de Saúde.

A defesa tentava reverter decisão do desembargador Fausto De Sanctis, relator da 11ª Turma do TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) que no dia 26 de novembro manteve Vidigal preso.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE