PUBLICIDADE
pelo mundo

Talibã anuncia que assinará acordo de paz com EUA ainda mês

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, também divulgou um comunicado informando da assinatura do acordo no próximo dia 29


Militantes do Talibã no Afeganistão participam de cerimônia de reconciliação. Foto: Ghulamullan Habibi / EFE-EPA - 6.2.2020

O Talibã anunciou nesta sexta-feira (21) que assinará um acordo de paz com os Estados Unidos no próximo dia 29, após mais de um ano de negociações no Catar. A informação foi confirmada quase que simultaneamente pelo Departamento de Estado norte-americano.

"Após longas negociações entre o Emirado Islâmico (como os talibãs se autodenominam) do Afeganistão e os Estados Unidos da América, as duas partes concordaram em assinar o acordo na presença de observadores internacionais no sábado, 29 de fevereiro", diz o comunicado do grupo insurgente.

As duas partes "criarão uma situação de segurança adequada" e convidarão "muitos" representantes de diferentes países e organizações internacionais para assinar o acordo, segundo o Talibã.

Retirada de tropas dos EUA
A retirada de tropas americanas, que mantêm entre 12 mil e 13 mil soldados no país, foi um dos principais exigências dos talibãs e também um objetivo eleitoral do presidente dos EUA, Donald Trump, que havia prometido minimizar a presença militar no país asiático.

O Talibã disse que o acordo "estruturará um caminho" para o início das negociações de paz intra-afegãs, vistas como um passo fundamental para o fim de duas décadas de guerra no Afeganistão.

No entanto, o comunicado não faz qualquer menção ao governo afegão e afirma que as negociações de paz serão "com vários partidos políticos do país".

O grupo insurgente também não fez referência ao compromisso de reduzir a violência no Afeganistão durante sete dias, a partir da meia-noite desta sexta-feira, anunciado hoje pelo Conselho de Segurança Nacional do Afeganistão (NSC).

Sete dias para reduzir violência
O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, também divulgou um comunicado informando da assinatura do acordo no próximo dia 29, embora tenha enfatizado que está condicionado à "implementação bem-sucedida" do período de redução da violência.

Esses sete dias de hostilidades reduzidas são vistos como um teste para verificar se o Talibã está realmente comprometido com a paz, bem como para testar se a liderança insurgente tem autoridade sobre seus soldados posicionados no terreno.

As negociações intra-afegãs começarão após a assinatura do acordo e "serão promovidas nesta etapa fundamental para alcançar um cessar-fogo completo e permanente", afirmou Pompeo.

Além disso, Pompeo usou o Twitter para afirmar que "após décadas de conflito, chegamos a um entendimento com os talibãs sobre uma redução significativa da violência no Afeganistão".

"Este é um passo importante no longo caminho para a paz, e peço a todos os afegãos que aproveitem essa oportunidade", disse Pompeo.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE