PUBLICIDADE
Laguna Carapã

Após passar por cirurgia, criança com “Cranioestenose” passa bem e família agradece ajuda

| CAARAPONEWS/JOSé CARLOS


A pequena “Ana Laura”. Foto: Arquivo familiar

O casal Ana Paula Brito Franco e Valdomiro Franco dos Santos, da cidade Laguna Carapã, através da moradora de Caarapó, Sandra Braghine, procurou a redação do CarapoNews, para dar notícias sobre a pequena “Ana Laura” e também para fazer  agradecimentos.

Para quem não lembra ou não leu, no dia 10 de dezembro do ano passado o site publicou a matéria com o seguinte título: Família faz “Vaquinha virtual” para arrecadar dinheiro para cirurgia que custa R$ 240 mil em uma criança.

Passado quase quatro meses, a família vem a público agradecer a Deus em primeiro lugar e as pessoas que ajudaram na campanha da “Ana Laura”, divulgada pelo portal CaarapoNews.

Conforme a família, no dia 15 de fevereiro do corrente ano, a pequena passou por uma cirurgia no Hospital Santa Catarina, em São Paulo/SP e felizmente a mesma se encontra bem e esbanjando alegria e saúde.

Recentemente Ana Laura completou nove meses e esse seria o prazo limite para fazer a cirurgia.

Cranioestenose o que é

Fontanela ou simplesmente moleira, essa fenda que é o espaço que o bebê tem entre os ossos da caixa craniana e que serve desde auxilio como função de mola na hora do parto, para facilitar a passagem pelo canal vaginal até quando o bebê ainda esta em desenvolvimento e permite o crescimento adequado do cérebro da criança. Porém a cranioestenose acontece quando acontece o fechamento prematuro da fontanela dando origem a problemas para o bebê.

Normalmente a cranioestenose começa a aparecer por volta dos 3, 4 meses de vida, período em que o cérebro ainda está em formação e expandindo dentro da caixa craniana. Os problemas que a cranioestenose trazem são todos ligados a essa expansão cerebral, como a fontanela fecha antes do tempo, precocemente esse espaço para o cérebro do bebê crescer fica restrito e então ele pode ter alguns problemas neurológicos com o desenvolvimento normal do cérebro. Além de comprometer a caixa craniana com más formações, a cranioestenose pode favorecer em casos mais graves a compressão do cérebro pode levar a lesões neurológicas e trazer muitos riscos para a criança.

Cirurgia

O procedimento consiste na reconstrução da caixa craniana do bebê. A cirurgia de fontanela abre espaço para que o cérebro cresça e é muito invasiva, mas que traz resultados muito satisfatórios. A criança que passa pela cirurgia tem a cranioestenose resolvida, pois placas são colocadas na reconstrução da cabeça e a deformidade se houver passa a ser mínima e o mais importante, a compressão cerebral é extinta. A grande maioria dos casos é detectada no consultório em uma visita de rotina com o pediatra responsável pelo acompanhamento. Caso haja suspeita de fontanela fechada, a mãe será orientada a levar a criança ao especialista, neurologista pediátrico e assim fazer exames mais profundos para se ter um diagnostico preciso. João filho da Lorena está prestes a passar pela cirurgia, após receber o diagnóstico de cranioestenose, ele foi encaminhado para o procedimento.

(Fonte – Trocando Fraldas)

 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE