PUBLICIDADE
Eleições 2020

PSDB mira 50 prefeituras e 300 cadeiras de vereadores em municípios de MS

Sigla conta atualmente com 47 chefes de Executivo e 273 parlamentares em todo o Estado

| GABRIEL NERIS / CAMPO GRANDE NEWS


Sérgio de Paula diz que sigla amadureceu e está preparado para eleições (Foto: Paulo Francis)

As eleições municipais ainda não começaram, mas o PSDB já se movimenta para garantir o maior número possível de cadeiras para chefes do Executivo e também no Legislativo. O partido almeja conquistar até 50 prefeituras e eleger até 300 vereadores em Mato Grosso do Sul.

De acordo com o presidente estadual da sigla e secretário estadual de Articulação Política, Sérgio de Paula, os números são reflexos do crescimento do partido.

“Tivemos um crescimento considerável, tínhamos 162 vereadores, hoje o partido compõe com 273. Proporcionalmente, temos 38% do Estado. E também fechamos o quadro com 47 prefeitos', analisa.

Segundo ele, o partido deve disputar as eleições a prefeito em 55 a 60 municípios e citou alguns municípios onde o partido deve entrar na disputa.

“As administrações públicas estão exigentes a cada dia, temos que ter bons gestores, nos preparar. Dourados, Corumbá, Três Lagoas, Ponta Porã, Nova Andradina, Maracaju, Sidrolândia. Exigem gestão e estamos preocupados com isso', disse.

Sérgio de Paula também citou a definição em torno do nome do presidente da Câmara, vereador João Rocha, por parte da bancada, como candidato a vice do prefeito Marquinhos Trad (PSD) em eventual aliança entre os partidos. Em outras oportunidades, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) já havia dito que tem o “compromisso' de apoiar a reeleição de Marquinhos.

Em Dourados, distantes 228 km da Capital, a sigla apostará para prefeitura no deputado estadual Marçal Filho. “Temos bons nomes para disputar as prefeituras em Mato Grosso do Sul. Campo Grande e Dourados são os ovos que brilham na cesta, pulsam o Estado'.

O presidente da legenda no Estado destaca a novidade para as eleições deste ano. “Tem uma coisa nova, no Brasil nunca foi feito campanha sem coligação proporcional. Os partidos terão que ter chapa pura. Também favoreceu a gente e vamos aprender'.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE