PUBLICIDADE
Caarapó

Artigo: São Lourenço e o Centro Espiríta Alan Kardec em Caarapó

O Centro Espírita, Alan Kardec, fundado em1962, São Lourenço, município de Caarapó

| CAARAPONEWS


Ênio Ribeiro de Oliveira especial para o CaarapoNews

O Centro Espírita, Alan Kardec, fundado em1962, São Lourenço, município de Caarapó, distante treze quilômetros da sede do Distrito de Nova América, notabilizou-se por trabalhar intensamente filosofia e religião e menos intensamente, ciência. Estes são os três eixos básicos do espiritismo kardecista.

Além de fé e religião, este Centro Espírita, desempenhou outros papéis sociais, não menos importantes, para as comunidades daquela região (São Lourenço, Liberal, Café Porã e Cerrito): depois dos trabalhos característicos da Casa, as pessoas, tratavam de suas preocupações com os negócios (lavoura ou pecuária); compartilhavam alegrias, tristezas e expectativas sobre política, futebol, etc.; desfrutavam de lazer; se confraternizavam, outros namoravam. Desta forma contribuiu para a coesão social.
  Contava com poucos fazendeiros, muitos pequenos proprietários, arrendatários e peões; o período em discussão, data das décadas de1960 e 1970; o acesso à Caarapó ou Dourados, era muito difícil, porém indispensável, por serem as cidades onde eram comprados produtos industrializados (calçados, biscoitos, roupas e outros) e onde existiam bancos, especialmente o Banco do Brasil, procurados para financiamentos agrícolas.
  Esta viagem era extremamente penosa, as pessoas traziam roupas em malas ou sacos, para que quando chegassem à Caarapó ou Dourados, as vestissem, haja vista que, àquelas com as quais saíam, ficavam sujas, já que durante a viagem tinham que fechar os buracos da estrada com paus e pedras para que os veículos (trator, jipe, carroça, etc.), pudessem passar.
  A vida desta população era muito dura, mas nem por isso a mesma era infeliz. Penso que Centro Espírita Alan Kardec, combinando o estudo da fé, filosofia e humanismo, contribuiu enormemente para que àquela comunidade suportasse com resignação tantas dificuldades; que trocassem à postura de lamentação pela de superação das dificuldades, visando à satisfação de suas necessidades.
  Aqui relaciono alguns espíritas integrantes deste Centro: Ildefonso Ribeiro da Silva, Antônio Ribeiro da Silva, Antônio Costa, João Felício, Augusto Ribeiro da Silva, Purcina Ferreira, Luis de Paula (São Lourenço), Marcelino José Luiz (Café Porã).
  Os dirigentes do Centro Espírita Alan Kardec, além dos trabalhos ordinários (doutrinação, sessão de desenvolvimento, passe magnético, assistência espiritual, formação, etc.), realizavam dois grandes eventos: no dia das mães e na véspera do natal. Previamente faziam uma grande peregrinação junto ao comércio de Caarapó, Dourados, buscando angariar presentes para serem distribuídos às crianças. Estas datas eram celebradas com atividades culturais e religiosas (poesias, dramatizações, cantos, etc.), reunindo cerca de 300 pessoas, composta de espíritas, católicos, evangélicos, outras religiões e ateus.
  Este Centro Espírita desempenhou múltiplos papéis: cultural, religioso, filosófico, lazer e confraternização, possibilitando àquela comunidade uma relativa autosuficiência e projeção na região da Grande Dourados.
  Não pense que estou exagerando, amigo leitor, personalidades espíritas ilustres de Dourados, Campo Grande e até do Rio de Janeiro visitaram e fizeram palestras neste Centro; muitos congressos espíritas foram realizados em São Lourenço: os participantes vindo de lugares distantes hospedavam-se nas casas dos moradores espíritas, notadamente, os dirigentes, cujas casas, apesar de não contarem com serviços de água encanada e tratada e energia elétrica, permitiam aos hóspedes ficar a vontade, em virtude do calor humano dos anfitriões.
  Este Centro foi uma grande escola. Comprova isso, o fato de muitos dos espíritas, oriundos do mesmo, atualmente serem dirigentes de diversas casas espíritas localizadas em Dourados.
   A população de São Lourenço e região passou pela experiência dolorosa do êxodo rural, vítima, das políticas públicas agrícolas adotadas pelos governantes de então, aliás, uma estratégia para a constituição de mão-de-obra para as indústrias, empresas e comércio nas cidades brasileiras. A região da Grande Dourados, incluso aí, o lugar objeto deste artigo – São Lourenço – viveu este processo nas décadas de 60, 70 e 80.
  Os pequenos agricultores de São Lourenço e região, não atendidos, em suas necessidades básicas: construção e manutenção de estradas vicinais e de escolas; assistência técnica e garantia de preços mínimos justos; ausência de certos benefícios: energia elétrica, água tratada, etc., migraram a maioria para Dourados.
  Diante de tudo o que foi exposto neste artigo, amigo leitor, penso que o Centro Espírita Alan Kardec foi fundamental para a disseminação, a legitimação e a territorialização do espiritismo kardecista em Dourados e região. E mais: Dourados, Cidade Universitária, tendo como carro chefe a Universidade Federal da Grande Dourados, especialmente através de alunos ou professores oriundos de famílias espíritas que ingressaram ou ingressarem nas universidades sediadas nesta Cidade, devem empreender esforços para que pesquisas sejam feitas sobre o movimento espírita na região, com um enfoque muito especial, pela importância que teve, sobre a experiência do Centro Espírita Alan Kardec.
  * Personagem desta história.
  Professor de Geografia da rede estadual de ensino, Mestre em ciência e tecnologia da educação da UNIVERSIDAD TÉCNICA DE COMERCIALIZACIÓN Y DESARROLLO (PY)  

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE