PUBLICIDADE
Política

Lula só não vem a MS se André apoiar Dilma

| CLóVIS DE OLIVEIRA


O presidente Luís Inácio Lula da Silva deixou o Estado ontem, após visitar a fábrica de papel e celulose do grupo Votorantim, em Três Lagoas, depois de dar um recado pessoal ao governador André Puccinelli: “Só não venho participar da campanha em Mato Grosso do Sul se você apoiar a Dilma”.

O recado, segundo interlocutores políticos, foi dado durante o encontro reservado dos dois, no trajeto de helicóptero entre o aeroporto de Três Lagoas e a fábrica visitada pelo presidente e demais autoridades políticas ontem pela manhã. Durante todo o dia, o presidente Lula insistiu na tese de que a disputa deveria ser realizada em Mato Grosso do Sul “sem interferências”.

Lula tem percorrido o Brasil em busca de apoios para o projeto de candidatura da ministra Dilma Roussef à reeleição dele e, no caso de Mato Grosso do Sul, quer que Puccinelli se defina, mesmo com a candidatura praticamente irreversível do ex-governador Zeca do PT, que obviamente oferecerá o palanque para a candidata oficial do partido.

No diálogo entre o presidente e o governador, ficou claro que André e Zeca devem mesmo se enfrentar nas urnas no dia 3 de outubro. Lula diz que respeita as posições de cada um, mas “não gostaria” que o atual governador oferecesse um palanque para o tucano José Serra, que pretende disputar a presidência com a ministra Dilma.

“Se você montar um palanque pro Serra aqui, aí eu terei que vir pedir votos para a Dilma e, claro, vou manifestar a minha preferência pelo Zeca”, avisou o presidente no contato que teve a sós com o governador de Mato Grosso do Sul. Durante o dia, Zeca do PT já havia declarado, em Três Lagoas, que não vê problemas no fato da ministra ter dois palanques no Estado. “Aliás, isso ajuda a Dilma”, disse o ex-governador.
 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE