PUBLICIDADE
pelo mundo

Nuvem de gafanhotos permanece na Argentina, mas governo 'perde' localização exata

O enxame de gafanhotos se originou no Paraguai e agora está na Argentina, próximo a fronteira com o Brasil, mas não deve afetar o país

| REDE TV


Foto; Fornecido por RedeTV!

O governo da Argentina afirmou na noite de quinta-feira (25) que a nuvem de gafanhotos continua em território argentino, mas não sabem onde exatamente estão os insetos. As equipes do Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentar (Senasa) e da província de Corrientes, região que acredita-se concentrar os animais, continuam trabalhando para encontrar a localização exata. 

As autoridades acreditam que a nuvem não tenha se movido muito devido às baixas temperaturas da região. "Estimamos que ela não se moveu, pelo menos a grandes distâncias", afirmou o Senasa. 

Situação no Brasil

O enxame de gafanhotos se originou no Paraguai e agora está na Argentina, próximo a fronteira com o Brasil, mas não deve afetar o país. A chuva e a frente fria que atingiram o Rio Grande do Sul nesta mudaram o rumo dos insetos e o governo acredita que eles devem seguir para o Uruguai.

Mesmo assim, a situação preocupa Ministério da Agricultura, a ministra Tereza Cristina declarou estado de emergência fitossanitária no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. A medida permite atuação de forma emergencial, com uso de produtos químicos e agrotóxicos para conter a praga. As autoridades estudam, por exemplo, o uso de 400 aviões para pulverizar o solo arriscado.

O governo argentino monitora a nuvem de gafanhotos desde maio, quando o movimento começou no Paraguai. Em um mapa, é possível observar que o enxame chegou a ficar bem próximo do Brasil, a 130 quilômetros da fronteira. 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE