PUBLICIDADE
iguatemi

Justiça bloqueia bens de prefeita e de empresas por fraude em licitação

O bloqueio faz parte da ação do Ministério Público Estadual, de 20 de março de 2018, que investiga improbidade administrativa

| CAMPO GRANDE NEWS


Prefeita de Iguatemi é investigada por improbidade administrativa (Foto: Divulgação)

O juiz da Comarca de Iguatemi, distantes 466 km de Campo Grande, Marcelo da Silva Cassavara, bloqueou bens da prefeita Patrícia Margatto e de empresas por suspeita de fraude em licitação.

Segundo o site Midiaflex, o bloqueio faz parte da ação do Ministério Público Estadual, de 20 de março de 2018, que investiga improbidade administrativa. A denúncia aponta que a prefeitura estava encaminhando máquinas pesadas para conserto sem licitação, com o pagamento dos serviços feito posteriormente em licitações fraudadas.

O MPE aponta que o pregão era dividido em lotes e cada uma das empresas suspeitas envolvidas apresentava proposta somente naquele lote em que a máquina já estava no pátio para suposto orçamento prévio.

Duas empresas mencionadas são apontadas como uma única empresa por funcionarem nos fundos uma da outra e por terem mãe e filha como responsáveis.

Com os indícios de improbidade, o MP pediu a indisponibilidade de bens móveis e imóveis. O juiz deferiu parcialmente a liminar decretando o bloqueio de R$ 113,5 mil da prefeita e das empresas envolvidas.

O Campo Grande News tentou entrar em contato com a prefeita, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE