PUBLICIDADE
Operação Revoada

Lava Jato denuncia José Serra por lavagem de dinheiro

Um dos mandados foi cumprido nesta sexta em um endereço na Vila Nova Conceição, bairro nobre da capital paulista

| CNN BRASIL


Foto: Divulgação

A Operação Lava Jato em São Paulo denunciou, nesta sexta-feira (3), o senador José Serra (PSDB) e a filha dele, Verônica Allende Serra, por corrupção. A Polícia Federal cumpriu oito mandados de busca e apreensão em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Segundo informações do Ministério Público Federal (MPF), a Operação Revoada apura o funcionamento de um esquema de lavagem de dinheiro no exterior, em favor de agentes políticos e outros operadores.

A denúncia indica que, entre 2006 e 2007, José Serra se aproveitou de seu cargo e influência política para receber, da Odebrecht, pagamentos indevidos em troca de benefícios relacionados às obras do Rodoanel Sul. Milhões de reais foram pagos pela empreiteira por meio de uma sofisticada rede de offshores no exterior.

As investigações mostram que o empresário José Amaro Pinto Ramos e Verônica Serra constituíram empresas no exterior, ocultando seus nomes. Por meio delas, os dois receberam os pagamentos que a Odebrecht destinou ao então governador de São Paulo.

Segundo o colunista da CNN Igor Gadelha, os advogados de José Serra ainda tentam ter acesso ao inquérito que baseou a denúncia. Interlocutores do parlamentar disseram que, por causa da pandemia do novo coronavírus, o documento estaria na casa do delegado que comandou a investigação.

De acordo com o MPF, José Amaro Pinto Ramos e Verônica Serra realizaram diversas transferêcias para dissimular a origem do dinheiro e o manteve em uma conta de offshore controlada, de maneira oculta, por Verônica até o fim de 2014, quando foram transferidos para outra conta de titularidade também oculta, na Suíça.

Até agora, a força-tarefa já detectou que podem ter sido lavados dezenas de milhões de reais ao longo dos últimos anos. Com as provas colhidas até o momento, o MPF obteve autorização na Justiça Federal para o bloqueio de cerca de R$ 40 milhoes em uma conta na Suíça. As investigações seguem em sigilo. 

Em nota, a Odebrecht disse que "está comprometida com atuação ética, íntegra e transparente, colabora com a Justiça de forma permanente e eficaz para esclarecer fatos do passado”.

O PSDB afirmou em sua conta no Twitter que "acredita no sistema judicial do país e defende as apurações na utilização de recursos públicos", mas destacou "que confia na história do senador José Serra e nos devidos esclarecimentos dos fatos".

Serra não está em sua residência na capital paulista. Ao colunista da CNN Igor Gadelha, interlocutores do senador informaram que o tucano se isolou com a família em uma casa no interior Bahia desde o início da pandemia de Covid-19.

Um dos mandados foi cumprido nesta sexta em um endereço na Vila Nova Conceição, bairro nobre da capital paulista. No RJ, os policiais se dirigiram ao bairro do Leblon, zona sul da capital fluminense. Até o momento, não há informações sobre mandados de prisão sendo cumpridos.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE