PUBLICIDADE
investigação

MPT investiga frigoríficos do Mato Grosso por casos de covid-19

Entre os problemas apontados pelo MPT está a falta de previsão de afastamento para quem teve contato com casos suspeitos

| PODER 360


Foto: ANPr/SINDIAVIPAR

O MPT (Ministério Público do Trabalho) investiga 10 frigoríficos no Mato Grosso por suspeita de terem trabalhadores contaminados pelo novo coronavírus.

Com mais de 11.000 funcionários no Mato Grosso, a JBS comunicou ao MPT que tem 41 casos confirmados e 128 suspeitos, localizados em 8 plantas. A Vale Grande informou ter 7 casos confirmados nas unidades de Sinop e Matupá.

Entre os problemas apontados pelo MPT está a falta de previsão de afastamento para quem teve contato com casos suspeitos. Outra questão é que os frigoríficos não comprovaram que fornecem máscaras no padrão ABNT e que garantem a distância de 1 metro entre os funcionários.

“Essa conduta potencializa a transmissão na unidade”, disse o procurador Bruno Choairy à Folha de S. Paulo. Ele ressaltou o baixo número de funcionários afastados e citou o caso da planta de Barra do Garças da JBS como exemplo: com 14 infectados e 59 suspeitos, apenas 6 funcionários foram afastados.

Procurada pela Folha, a JBS não quis comentar o caso. Afirmou seguir 1 protocolo robusto de controle, prevenção e segurança em todas as suas unidades. A Vale Grande não retornou.

A contaminação de funcionários pelo novo coronavírus já custou a alguns frigoríficos brasileiros a suspensão de exportação para o mercado chinês, 1 dos principais para o Brasil. No começo de julho, a China suspendeu 2 frigoríficos brasileiros, sendo que outros 4 já tinham saído da lista. Na ocasião, o governo brasileiro disse que estava em contato com a Administração Geral de Alfândega da China para prestar informações pedidas pelo órgão.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE