PUBLICIDADE
Dourados

Procurador e secretário envolvidos na Operação Contágio são exonerados

Equipe da Gaeco cumpriu busca de mandado e apreensão nas residências dos servidores públicos e no CAM (Centro Administrativo Municipal)

| DOURADOS NEWS


Foto: Hedio Fazan/Dourados News

A prefeita Délia Razuk exonerou nesta sexta-feira (17) o procurador-geral do município, Sérgio Henrique Pereira Martins de Araújo e do secretário de Fazenda, Carlos Francisco Dobes Vieira. 

A decisão consta em diário oficial do município n° 5.209, nos decretos de 2.763 e 2.764 respectivamente. 

A medida acontece após ambos serem alvos das investigações da Operação Contágio, deflagrada nesta quarta-feira (15) pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) que apura supostas fraudes em compras emergenciais via dispensa de licitação na prefeitura de Dourados no valor R$ 247.560,00.

Equipe da Gaeco cumpriu busca de mandado e apreensão nas residências dos servidores públicos e no CAM (Centro Administrativo Municipal).

Conforme mostrado pelo Dourados News, na mesma data que a Operação cumpriu os mandados (15), a prefeita Délia Razuk solicitou o afastamento temporário de Carlos Francisco Dobes Vieira e de Sérgio Henrique Pereira Martins de Araújo, além de outros nomes citados na Operação como o a ex-secretária municipal de Saúde, Berenice Oliveira Machado de Souza e outras servidoras. Com a media, esses ficam suspensos do cargos por 90 dias após determinação judicial. 

Nesta quinta-feira (16), Carlos Augusto de Melo Pimentel foi nomeado interinamente para o cargo de secretário municipal da Fazenda, em Dourados. Ele também ocupa o cargo de diretor-presidente na Agência Municipal de Habitação. 

Como mostrado pelo Dourados News, no início da tarde desta sexta-feira (17), Carlos Francisco Dobes Vieira pediu exoneração do cargo de secretário Municipal de Fazenda, por meio de uma carta encaminhada à prefeitura de Dourados. 

Ele nega participação em crimes e de fraudes na aquisição de material em combate a pandemia do coronavírus, motivo da investigação que resultou na operação. 

Carlos Francisco ocupava o cargo, frente a Fazenda desde 2019. Já Sérgio Henrique atuava na procuradoria desde agosto de 2018. 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE