PUBLICIDADE
Corumbá

Fogo atinge 26 mil hectares no Pantanal há 7 dias e já ameaça a sede de fazenda

| CAMPO GRANDE NEWS


Fogo destrói área de vegetação no pantanal sul-mato-grossense (Foto: divulgação/Portal Governo do Estado)

Funcionário de 53 anos da fazenda São Bento, em Corumbá, procurou a polícia nesta segunda-feira (27) para registrar boletim de ocorrência de incêndio que já dura sete dias. As chamas, informou, ameaçam a sede da propriedade, que tem 26 mil hectares.

Conforme boletim de ocorrência, a fazenda que pertence ao pecuarista Ivanildo da Cunha Miranda fica à margem esquerda do Rio São Lourenço e até ontem não havia sido possível o controle das chamas, que também ameaçava uma área onde há gado. Ele não soube mencionar o tamanho do espaço que já foi atingido pelo fogo.

O caso foi registrado como incêndio na delegacia de Polícia Civil do município. Sem chuva há 33 dias, a seca castiga a região com as queimadas. Há previsão de chuva somente a partir do dia 10 de agosto, de acordo com o meteorologista da Uniderp/Anhanguera, Natálio Abrahão.

Monitoramento do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) apontou 1.322 focos de incêndios florestais no Pantanal na parcial de julho, número recorde para o mês desde o início da série histórica, em 1998. A operação conjunta de combate ao fogo tem a ajuda do Hércules C-130 da FAB (Força Aérea Brasileira).

Ontem, o dia foi de muita fumaça na região, resultado da tentativa de reduzir o fogo na vegetação que queima na região. Segundo o último relatório encaminhado ontem pelo do governo do Estado, a chegada de aeronaves enviadas pelo governo federal havia começado a amenizar a situação.

Quem é - Ivanildo Miranda da Cunha é um dos implicados na Operação Lama Asfáltica, na fase que investigou irregularidades envolvendo o pagamento de impostos pela indústria frigorífica. Ele fechou acordo de delação premiada em 2017.

A fazenda em chamas está entre os bens dele investigados durante a operação. 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE