PUBLICIDADE
campo grande

Assassino é preso e indica onde estava ossada de vítima do 'tribunal do crime'

Sidney Jesus Rerostuk, de 27 anos, conhecido como "Kapetinha", foi preso por policiais da DEH na sua residência

| CAMPO GRANDE NEWS


Sidney Jesus Rerostuk confessou ter executado o rapaz a mando de uma facção criminosa. (Foto: Reprodução/Facebook)

A Polícia Civil encontrou na região da Chácara dos Poderes os restos mortais de Sandro Lucas de Oliveira, de 24 anos, que estava desaparecido em dezembro do ano passado, na Vila Popular, em Campo Grande. O local foi indicado por Sidney Jesus Rerostuk, de 27 anos, que confessou ter executado o jovem a mando da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).

Sidney, conhecido como "Kapetinha", foi preso por policiais da DEH (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídios) na sua residência, no Jardim Balsamo, em cumprimento a mandado de prisão pela morte do rapaz. No endereço, ele também foi flagrado com sete porções de cocaína e também acabou sendo autuado por tráfico de drogas.

O suspeito ficará na carceragem do Cepol (Centro Integrado de Polícia Especializada) até ser submetido a audiência de custodia, que deve ocorrer, possivelmente, nesta quarta-feira (29).

Sandro Lucas de Oliveira tinha passagem por tráfico e por roubo.

Não há detalhes sobre como ocorreu o assassinato. O homem preso, segundo levantado,  foi o responsável pela execução.

Outros envolvidos - A prisão de Sandro Lucas era essencial para a investigação, para a chegada ao cadáver da vítima. No mês passado, em junho, operação sobre o mesmo caso levou à prisão de oito pessoas, cinco delas com participação direta no “tribunal do crime” a qual Sandro foi submetido.

Os suspeitos foram identificados como Eder de Barros Vieira, Adson Vitor Farias, Eliezer Nunes Romero e Rafael Aquino de Queiroz, além de um adolescente de 17 anos. Cinco locais foram percorridos nesta tarde, um deles uma boca de fumo.

Naquele dia, segundo divulgado, foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão domiciliar, quatro mandados de prisão temporária e o mandado de busca e apreensão do adolescente. 

Um dos presos temporariamente também foi alvo de flagrante por posse de munição e outro por tráfico de droga. Outras duas mulheres, de 21 e 22 anos, e um homem foram flagrados traficando drogas.

As buscas de então foram realizadas pela DEH (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídios), com apoio da Defurv (Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos), Deaij (Delegacia de Apoio à Juventude) e do Departamento de inteligência da Policia Civil. 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE