PUBLICIDADE
Costa Rica

Acusado de duplo homicídio passará por exame de sanidade mental

Crime ocorreu na noite do dia 27 de maio, quando o casal Marilei Ramos, 33 anos, e o namorado dela, Gilcione Rodrigues Martins, 34 anos, foram mortos

| KEROLYN ARAúJO / CAMPO GRANDE NEWS


Jair Soares de Oliveira, 32 anos, no quarto onde o casal foi assassinado. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Jair Soares de Oliveira, 32 anos, acusado de matar a facadas a ex-mulher, Marilei Ramos, 33 anos, e o namorado dela, Gilcione Rodrigues Martins, 34 anos, passará por exame de sanidade mental. O crime ocorreu no dia 27 de maio deste ano em Costa Rica, cidade distante a 305 quilômetros de Campo Grande.

O pedido de exame foi feito pelos advogados de defesa de Jair. A autorização foi publicada na edição de hoje (30) do Diário da Justiça.

Segundo a defesa, Jair foi diagnosticado no dia 18 de março com transtorno depressivo grave, com sintomas psicóticos. O exame tem como finalidade apontar se o acusado tinha entendimento do que estava fazendo na época do crime.

Conforme a decisão da Justiça, após a realização do exame, o perito deverá apresentar o laudo no prazo de 45 dias. A ação penal está suspensa até o diagnóstico.

O caso - Marilei e Gilcione estavam dormindo na casa da mulher, na Rua Domingos Afonso de Amorim, no bairro Vale do Amanhecer, quando o local foi invadido por Jair. Ele matou o casal a golpes de faca artesanal.

Jair fugiu e foi preso no dia na manhã do dia 29 de maio em área rural de Pedro Gomes, resistiu à prisão e tentou fugir. A intenção do assassino era se refugir em uma fazenda no Pantanal.

Na delegacia, Jair permaneceu em silêncio, mas no dia da reconstituição do crime assumiu os assassinatos. À polícia, ele contou que havia reatado o relacionamento com a Marilei e, ao chegar em casa e ligar a luz do quarto, encontrou o casal dormindo.

Gilcione teria pego uma arma e ido pra cima dele. Para se defender, Jair contou à polícia que pegou um instrumento de ferro que usava no trabalho que estava em cima do guarda-roupa e feriu o homem. Depois, matou a ex-mulher que tentava defender o namorado.

Segundo a Polícia Civil, toda a versão apresentada por Jair não condiz com a dinâmica do crime.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE