PUBLICIDADE
Dourados

Seminu, colombiano é preso em motel e ameaça matar policiais

Joel Pereira Borges, 26, foi preso em motel localizado no prolongamento da Avenida Marcelino Pires após promover quebra-quebra no local

| CAMPO GRANDE NEWS


Policiais militares conduzem colombiano preso em motel de Dourados (Foto: Adilson Domingos)

Usando apenas uma camiseta da seleção brasileira. Foi assim que o caminhoneiro Joel Pereira Borges, 26, chegou na manhã desta terça-feira (4) à 1ª Delegacia de Polícia Civil de Dourados conduzido por policiais militares depois de ser preso em motel da cidade. Descontrolado, ele xingou os policiais e ameaçou mandar matá-los após sair da cadeia.

De nacionalidade colombiana, Joel foi preso em motel localizado no prolongamento da Avenida Marcelino Pires após promover quebra-quebra no local.

É a segunda ocorrência policial em motel da cidade nos últimos três dias. A outra, envolvendo briga entre dois homens durante troca de casais, ocorreu na madrugada de domingo. Para ler mais, clique aqui.

Conforme a ocorrência policial, por volta de 6h de hoje a Polícia Militar foi chamada para se deslocar até o motel na saída para Campo Grande, onde um homem estava danificando os pertences do quarto.

No local, o gerente informou aos policiais que um cliente tinha chegado de táxi com uma mulher e alugado o quarto número 2. Em determinado momento, começou a quebrar copos, a vidraça, o frigobar e garrafas de cerveja.

Ele deixou o quarto e passou a quebrar a vidraça de outros apartamentos. Quando os policiais chegaram, Joel Borges estava dentro de um carro no estacionamento do apartamento 10, completamente embriagado.

Vestindo apenas a camiseta do Brasil, ele se negou a colocar as outras roupas para ser levado à delegacia. A ocorrência relata que o homem teve de ser algemado devido ao estado de nervosismo. Nesse momento ele começou a xingar e ameaçar os PMs, afirmando que pagaria R$ 50 mil para mandar matar toda a família dos policiais.

Colocado no compartimento de presos da viatura, Joel começou a bater a cabeça tentando se machucar e culpar os policiais. Ele gritava pelos direitos humanos e falava que iria “ferrar” os PMs.

O colombiano foi entregue à Polícia Civil com lesões na perna, na mão e na boca, provocados, segundo a PM, no momento em que pulou a vidraça de um dos quartos do motel. 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE