PUBLICIDADE
campo grande

Pastor pede depósito de R$ 365 para livrar família de 'maldição'

A cobrança, segundo a mulher, que pediu para não ser identificada, seria referente a orações e também a “campanha de três dias”

| CAMPO GRANDE NEWS


Trecho de áudio enviado por pastor a moradora de Campo Grande. Foto: Reprodução

“Vamos orar e Deus vai falar quanto é”. Foram essas as palavras do pastor Fabrício Bezerra, também conhecido como “O Homem das Revelações”, a uma moradora de Campo Grande para quem o regilioso afirmou ter tido “uma revelação” envolvendo seus familiares.

A cobrança, segundo a mulher, que pediu para não ser identificada, seria referente a orações e também a “campanha de três dias”, medidas necessárias para livrar a família de uma “maldição”.

“Pra mim ele falou que houve maldição desde o ventre da minha mãe. Disse meu CPF, falou que eu ia receber ligação de um número que eu conheço me dando uma notícia triste, falou até o endereço onde eu morava com meu ex-marido, há cinco anos, onde teriam feito uma ‘feitiçaria’ para minha vida amorosa não ir pra frente”, conta a jovem, de 26 anos.
Segundo ela, o primeiro contato aconteceu na última quinta-feira (30), um dia depois de um conhecido da família presenciar uma noite de orações ministrada pelo pastor.

“Um conhecido chegou na porta de casa e falou que ele tinha ido ao culto e lá ele [o pastor] perguntou se ele conhecia uma família com o sobrenome da minha. Ele disse que sim e o pastor então pediu para nos avisar para entrar em contato com ele”, detalha a moradora.

A jovem então procurou pelo pastor por meio de aplicativo de mensagens.

“Ele me pediu para ligar e começou a falar um monte de coisas. No final, pediu para depositar R$ 365”, conta.
Em um dos áudios que o Campo Grande News teve acesso, pastor Fabrício Bezerra explica como deveria ser o pagamento, além de detalhar as próximas etapas da campanha.

“Se for por telefone eu passo para você a conta, você faz o depósito, me envia o comprovante e nós começamos. Eu ligo para você de novo, fazemos outra oração, aí Deus vai falar o valor do voto , entendeu? E aí vamos acordar isso mesmo, vai fazer o depósito, vai me enviar o comprovante e nós vamos começar a campanha”, menciona o religioso.

Em resposta, a moradora afirma não ter o valor cobrado, momento em que o fiel teria deixado de se comunicar. “Pode ser que estão usando o nome desse pastor, mas o áudio seria a voz dele mesmo”, alerta a jovem.

Outra tentativa – Ainda conforme a moradora, outra pessoa da família teria entrado em contato com o “Homem das Revelações”. Para o familiar dela, foi um colega de serviço quem indicou que o amigo entrasse em contato com o pastor por meio do WhatsApp.

Em conversa, o pastor teria mencionado o nome completo de dois familiares do trabalhador, e disse que esta pessoa teria feito uma 'maldição' para a família toda, além de que iria orar para quebrar tal coisa.

Mesmo após o homem ter dito que a familiar citada havia falecido há 14 anos, o pastor então pronunciou outro nome, filha da primeira pessoa mencionada. A intenção seria provar que tal “maldição” estaria perpetuando na família.

“Em relação à pessoa que morreu, qual o problema? Ela morreu, mas continua sendo da família. A maldição vem vindo, vem acompanhando. Precisa crer, precisa acreditar no que diz a revelação. Tem pessoa que luta, reluta e não crê, não acredita”, diz o religioso em áudio enviado ao homem.

Em seguida, o pastor menciona o que o homem teria de fazer. “Então o senhor procura uma igreja evangélica, procura Deus, para que esse mal possa cair por terra de uma vez por todas, entendeu? E Deus vai continuar fazendo a obra. É o que eu falo para o senhor, a minha forma de trabalhar é outra, é diferente, mas que o senhor possa estar buscando uma igreja e o nome de Jesus”, complementa a mensagem.

Retorno - O Campo Grande News entrou em contato com o pastor mencionado, por meio do telefone usado por ele para se comunicar com pelo menos duas das pessoas da família citada, e dar direito de resposta a ele.

Após a reportagem se identificar e, inclusive, citar o veículo de comunicação, o homem conversou normalmente por alguns minutos. Na ligação, pastor Fabrício explica ser de Dourados, a 233 quilômetros da Capital, e confirma ter vindo até Campo Grande na última semana.

“Quando eu vou, é para estar pregando nas igrejas, como convidado”, revela. Quando questionado sobre o contato feito com a família campo-grandense, Fabrício confirma. “Fui levantado por Deus, temos uma forma de pregar, mas em momento algum a gente força alguém a fazer algum tipo de voto. A pessoa é livre, tanto é que a família não fez e eu continuei enviando orações”, justifica.
Em relação à quantia solicitada, o religioso confirmou o valor mencionado, de R$ 365, mas se negou a chamar o pagamento pela “campanha” de cobrança. “Não foi cobrado”, avalia. Em seguida, ele justifica o preço conversado. “Quer que eu compre essa briga no mundo espiritual? Deus falou para fazer esse voto, é um real por dia, simbolizando todos os dias do ano”, define.

Ao Campo Grande News, pastor Fabrício ainda mencionou a dificuldade entre aqueles que recebem suas revelações. “As pessoas hoje tem muito assim que Deus, Nosso Deus, o Criador Maior, seria obrigado a fazer algo por alguém. Ele não é obrigado a nada, a Palavra diz que temos que conquistar”, justifica.

Pastor há 20 anos, Fabrício conclui. “Vivo da obra. Eu sou consciente e seguro de quem eu sou em Deus. São pessoas que querem receber benefícios daquilo que é de Deus e não querem se esforçar”, comenta.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE