PUBLICIDADE
Dourados

Servidores denunciam falta de materiais básicos no Hospital da Vida

Como se não bastasse a ausência de materiais de higiene pessoal, também estão em falta produtos como sacos de lixo

| DOURADOS NEWS


Banheiro masculino para funcionários do HV estava sem papel higiênico durante a tarde terça-feira (15). Crédito: Ligado na Redação/Dourados News

Servidores que trabalham no principal hospital público de urgência em Dourados têm enfrentado dificuldades para manter a disponibilização de utensílios básicos de higiene como papel higiênico, por exemplo. 

A falta destes e de outros insumos foi relatada ao Dourados News por funcionários do HV (Hospital da Vida) nesta terça-feira (15) que preferiram não revelar as identidades. Uma servidora resume a situação como “precária e difícil de trabalhar”. 

Além de papel higiênico, nas imagens registradas hoje de um dos banheiros masculinos da unidade para uso de funcionários é possível observar também a falta de papel toalha para secagem das mãos. 

Como se não bastasse a ausência de materiais de higiene pessoal, também estão em falta produtos como sacos de lixo, considerado utensílio indispensável para manutenção da limpeza no hospital. 

“A gente acaba tendo que improvisar. Pegamos sacolas que são usadas para trazer as roupas limpas, tentamos economizar ao máximo para não ficar sem ter onde guardar o lixo”, disse um dos funcionários. 

Foram diversas as denúncias encaminhadas.

Os servidores lembram também a falta de botas de proteção que estão sendo reutilizadas; profissionais de saúde com férias atrasadas; atrasos nos pagamentos aos fornecedores como da empresa encarregada de lavar as roupas hospitalares; falta recorrente de materiais para atendimento rápido aos pacientes, como água sanitária, água oxigenada e sabão específico para limpeza de ferimentos.

Além dos atendimentos de urgência e emergência, o Hospital da Vida também recebe pacientes diagnosticado com coronavírus. 

Durante toda a tarde desta terça-feira, o Dourados News tentou contato com o interventor da Funsaud, Renato Cesar Nasser, para buscar um posicionamento sobre a situação relatada. 

Porém, não houve retorno às ligações até o fechamento da matéria. 

Pouco depois desta publicação, o diretor administrativo da Fundação, Matheus Tavares Fernandes, disse que os estoques já foram repostos tanto na unidade hospitalar, quanto na UPA (Unidade de Pronto Atendimento), também mantida pela autarquia. 

“Realmente houve atraso na entrega desses itens, mas desde as 11h eles [funcionários] começaram a abastecer a UPA e o HV. Como a logística está difícil, pois estamos apenas com um veículo, acabou atrasando”, relatou. 

A informação sobre a reposição foi confirmada pelos servidores do hospital. 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE