PUBLICIDADE
Política

Em Amambai, Zeca diz que só Deus o faz desistir de candidatura

| A GAZETA/VILSON NASCIMENTO


Ao responder perguntas sobre uma possível desistência de concorrer ao cargo de governador do Estado nas eleições desde ano por influência do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ou por acordo político, o ex-governador de Mato Grosso do Sul, José Orcírio Miranda dos Santos, o “Zeca do PT” foi taxativo ao afirmar; “Só Deus me faz desistir de ser candidato”.


O discurso aconteceu durante um ato político realizado na noite dessa quinta-feira (4) em Amambai com a presença de lideranças políticas locais e regionais e um grande número de pessoas, entre elas, lideranças comunitárias e representantes de classes do município, em Amambai.


Segundo o ex-governador e pré-candidato declarado ao Governo do Estado em 2010, de fato existem especulações lançadas pelos adversários que ele não seria candidato por influência do presidente Lula ou porque seria “comprado” pelo atual governador para desistir da candidatura.


“Essa possibilidade não existe, não tenho preço, não me vendo”, disse Zeca ao relatar que em nenhum momento recebeu insinuação do presidente da República para deixar de disputar as eleições no Estado.


“Recentemente viajei a Brasília a convite do presidente, inclusive do avião presidencial e eu e minha esposa Gilda formos recebidos, também a convite do presidente Lula, em seu gabinete, onde conversamos por mais de 40 minutos. Nessa conversa deixei claro ao presidente que eu, o PT de Mato Grosso do Sul e nossos companheiros políticos, temos uma meta que é voltar a fazer nosso Estado crescer e se desenvolver e também garantir a condições de subsistência para nossa população mais humilde através da retomada dos programas sociais que implantamos com grande sucesso durante nosso governo. Desobriguei o presidente Lula que é meu amigo e meu guia político, a vir ao Estado para fazer campanha em prol a nossa candidatura por sabermos sobre o projeto de aliança com o PMDB para elegermos a companheira Dilma. Disse ao presidente que temos amplas condições, pelo trabalho que já realizamos durante nosso governo, de chamar nosso adversário para o debate e com apoio do povo Sul-mato-grossense, que anseia por melhorias, vencer as eleições”, finalizou Zeca do PT.


O ex-governador também ressaltou que tem o aval do presidente e teria ouvido do próprio Lula que ele só não virá ao Mato Grosso do Sul para caminhar junto com Zeca e pedir votos ao ex-governador se o atual governador do Estado, André Puccinelli (PMDB), declarar apoio a candidatura de Dilma Rousseff a presidência da República.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE