PUBLICIDADE
Terenos/Campo Grande

Jaguatirica que teve cabeça esmagada após ser atropelada em rodovia de MS

O responsável por retirar o felino e colocá-lo às margens da rodovia contou que o atropelamento aconteceu em uma curva que já registrou bastante acidentes

| G1 MS


Ciclistas encontram jaguatirica que teve cabeça esmagada após ser atropelada, em MS. — Foto: Jucelei Marques/Foto

Uma jaguatirica teve a cabeça esmagada na noite desta quinta-feira (15) após ser atropelado na BR-262, entre Terenos e Campo Grande. Um grupo de ciclista que passava pelo local, encontrou o animal ainda caído no acostamento.
Segundo o responsável por retirar o felino e colocá-lo às margens da rodovia, Gustavo Gude, ele conta o atropelamento aconteceu em uma curva que já registrou bastante acidentes.

"Quando a encontramos o corpo dela ainda estava quente. Pela situação, parece que esse atropelamento foi proposital. A impressão que tive, é que a cabeça dessa jaguatirica simplesmente explodiu. Uma cena triste que encontramos durante o nosso treino", lamentou.
De acordo com Fernando Leigue, que foi o primeiro a notar o animal caído na rodovia por volta das 20h (horário de MS), só foi possível vê-lo por conta das lanternas das bicicletas. O responsável pelo acidente não foi identificado.

"Como estamos próximo da capital é mais difícil encontrar situações como essa. Em relação a essa jaguatirica, no começo deu pavor. A gente fica com aquela sensação que o espaço dela está sendo invadida e é por isso, que a cada vez mais, eles [animais] estão próximo das cidades", explicou ao G1.
Segundo o tenente-coronel Ednilson Queiroz, chefe de comunicação da Polícia Militar Ambiental (PMA), a atitude dos ciclistas foi correta em parar e retirar o animal da pista: "Fizeram o certo. Com muito cuidado eles retiraram o animal da via para evitar um outro acidente", e ainda acrescentou:

"Por ser em uma curva, o motorista que trafega por ali, pode assustar e passando por cima do animal, pode até perder o controle da condução do carro, ocasionado um acidente grave", finaliza.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE