PUBLICIDADE
Caarapó

Quadrilha faz duas adolescentes reféns e rouba camionete

| CAMPO GRANDE NEWS


Quatro pessoas foram presas ontem à noite em Campo Grande, apontadas como autoras do roubo de uma camionete Ranger, ocorrido ontem à tarde, na Vila Sobrinho, quando duas adolescentes foram feitas reféns. A quadrilha, segundo a Polícia Civil, escondeu o veículo num bairro vizinho, o Santo Amaro, a um quilometro e meio do local do roubo.


A camioneta foi roubada por volta das 15h. O proprietário do carro dormia enquanto a filha adolescente e uma amiga tomavam tereré em frente à casa. Um dos bandidos anunciou o assalto e levou as duas como reféns.


Pouco tempo depois, elas foram abandonadas, ainda no bairro. Meia hora depois, uma ligação anônima informou à polícia que havia uma camioneta escondida em uma casa na rua Poxoréu, no Santo Amaro, bairro vizinho.


Policiais da 7ª Delegacia de Polícia, no jardim Imá, fizeram campana e descobriram o veículo escondido na casa informada anonimamente, com a placa coberta por lona. Para chegar ao local, após o roubo, os bandidos apenas cruzaram a avenida Presidente Vargas e entraram no bairro Santo Amaro.


Por volta das 23h, os policiais entraram na casa, onde prenderam Sandro Jara Mendes, de 25 anos, a amásia de Sandro, Édria Regina Rodrigues, e a mãe dele, Adriana Jará Cabral, de 62 anos. Na sequência, foi preso Anderson Anselmo Vieira, de 24 anos, que foi responsável pelo assalto, no bairro Buriti.


A residência onde o veículo estava escondido é alugada por Adriana, há mais de dois anos, segundo informou. No local, eram escondidos os veículos roubados pela quadrilha, conforme apontam as investigações.


Segundo as investigações, Adriana recebia uma percentagem da venda dos veículos roubados para escondê-los. Ela já tem passagens por crimes de falsificação e roubo qualificado. Os outros três presos também tem passagens, conforme informou a equipe responsável pela prisão.


O veículo, segundo apurado, era uma encomenda, e deveria ser levado ainda de madrugada para ser revendido na região de fronteira. Não foi esclarecido se seria no Paraguai ou na Bolívia, destinos rotineiros de veículos roubados no Estado. Agora, a Polícia Civil investiga outros crimes cometidos pela quadrilha.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE