PUBLICIDADE
Caarapó

Suspeito de matar cartunista Glauco é preso em Foz do Iguaçu

| FOLHA


A Polícia Federal informou na madrugada desta segunda-feira (15) que prendeu, por volta da 0h, o suspeito de matar o cartunista Glauco Vilas Boas, Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, de 24 anos, tentando atravessar a Ponte da Amizade, em Foz do Iguaçu, no Paraná.


Segundo a polícia, Carlos Eduardo, também conhecido como Cadu, tentava deixar sozinho o país em um carro roubado em São Paulo.


Ao receber ordem para parar, ele teria reagido e atirado nos policiais. Um deles foi atingido no braço, mas não corre risco de morrer.


O suspeito foi preso e levado para a delegacia da PF em Foz do Iguaçu onde prestará depoimento. Ainda não há previsão de quando ele será levado para São Paulo.



O crime


Glauco e seu filho Raoni foram mortos a tiros durante a madrugada de sexta, na residência do cartunista, em Osasco, na Grande São Paulo. No local, também funciona a Igreja Céu de Maria, seguidora do Santo Daime, da qual as vítimas eram adeptas. Cadu, o suspeito, também chegou a frequentar os cultos e era conhecido da família do cartunista.


Segundo testemunhas, o jovem matou Glauco e Raoni após uma discussão. O rapaz, que faz tratamento contra dependência química, teria entrado armado na residência de Glauco. Após o crime, ele teria fugido em um carro Gol cinza, guiado por Felipe Iasi, 23 anos.


De acordo com o advogado de Iasi, Cássio Paulette, o jovem, que se apresentou no Setor de Investigações Gerais (SIG) da Delegacia Seccional de Osasco neste domingo (14), teria sido rendido e obrigado por Cadu a levá-lo até a casa das vítimas em Osasco.


Ele teria ligado momentos antes para o jovem e o convidado para se encontrarem, “um programa normal de jovens, sair para conversar e beber”, na noite de sexta, segundo o advogado.


“Felipe recebeu um telefonema e foi apanhar Cadu em sua residência. Ele entrou no veículo, apontou uma arma e o obrigou a levá-lo até a casa das vítimas”, contou Paulette. Ele disse, ainda, que Cadu teria anunciado se tratar de um sequestro e que Felipe achou que estava sendo levado para um cativeiro.


Paulette confirmou que Cadu teria rendido a enteada de Glauco e, assim, entrado na casa e atraído toda a família. De acordo com ele, o suspeito teria discutido asperamente com Glauco, afirmando que o cartunista sabia o que ele queria.

"Glauco respondeu que sim, sabia. Que Cadu queria que ele fosse até sua casa para confirmar à mãe que ele era Jesus Cristo na Terra", conta o advogado, afirmando que o suspeito aparentemente teria ingerido drogas.


Ele assumiu também que Felipe já usou "vez ou outra" maconha, mas negou que ele seja usuário ou que tivesse sob efeito de drogas na noite do crime.

 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE