PUBLICIDADE
Caarapó

Caarapó apresenta balanço das atividades realizadas em combate à violência contra a mulher

| CAARAPONEWS


Um dos momentos das ações durante programa na Rádio Caarapó FM. Fotos: Divulgação

A Prefeitura de Caarapó, através da Coordenadoria de Políticas Públicas para Mulheres, e juntamente com a Rede de Combate e Enfrentamento da violência contra a mulher, tem mobilizado a população a denunciar qualquer prática de violência de gênero no município.

No ano de 2020, devido ao período de pandemia do Covid-19, as ações tiveram que ser adaptadas. Entre as ações desenvolvidas estão à realização de lives ao vivo no comércio local, entrevistas na rádio, blitz educativas, panfletagem e fixação de cartazes nos postos de combustível, supermercados, conveniências, divulgação da campanha sinal vermelho iniciativa do Tribunal de Justiça em parceria com as redes de farmácia, campeonato de desenho Comunidade Caarapoense em Combate a Violência contra a Mulher, voltada ao público infantil, mensagem em carro de som, além da adaptação de uma sala para atendimento da mulher vítima de violência na delegacia de polícia civil e inicio da construção do local onde será a Sala Lilás.

De acordo com a psicóloga Juliana Monteiro, coordenadora do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), em 2020, a violência contra mulher em âmbito intrafamiliar foi uma das graves consequências da pandemia pelo Coronavírus. Em Caarapó, o número de mulheres vítimas de violência doméstica aumentou consideravelmente, totalizando 146 casos de mulheres violentadas durante o ano passado, conforme dados de atendimentos do CREAS.

A violência contra as mulheres se manifesta de diversas formas. De fato, o próprio conceito definido na Convenção de Belém do Pará (1994) aponta para esta amplitude, definindo violência contra as mulheres como “qualquer ação ou conduta, baseada no gênero, que cause morte, dano ou sofrimento físico, sexual ou psicológico à mulher, tanto no âmbito público como no privado” (Art. 1°). Além das violações aos direitos das mulheres e a sua integridade física e psicológica, a violência impacta também no desenvolvimento social e econômico de um país.

A violência atinge mulheres e homens de formas distintas. Grande parte das violências cometidas contra as mulheres é praticada dentro do lar, por pessoas próximas à sua convivência, enquanto que as que atingem homens ocorrem, em sua maioria, nas ruas. Onde deveria existir uma relação de afeto e respeito, existe uma relação de violência, que muitas vezes é invisibilizada por estar atrelada a papéis que são culturalmente atribuídos para homens e mulheres.

Um dos instrumentos mais importantes para o enfrentamento da violência doméstica e familiar contra as mulheres é a Lei Maria da Penha – Lei nº 11.340/2006. Esta lei, além de definir e tipificar as formas de violência contra as mulheres (física, psicológica, sexual, patrimonial e moral), também prevê a criação de serviços especializados, como os que integram a Rede de Enfrentamento à Violência contra a Mulher, compostos por instituições de segurança pública, justiça, saúde, e da assistência social.

Se você é vítima de violência ou conhece uma mulher que seja, busque ajuda, denuncie!

Central de Atendimento à mulher: ligue 180.

Em situações de urgência e emergência, quando uma agressão estiver acontecendo, ligue 190.

No site www.pc.ms.gov.br da Polícia Civil é possível fazer denuncia on-line através da Delegacia Virtual.

O aplicativo MS Digital, facilita o acesso da população aos serviços essenciais de forma digital, sendo que os ícones Segurança e Mulher MS trazem orientações e possibilidade de denúncia on-line.

Orientações e encaminhamentos a mulher vítima, também são oferecidos pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), telefone 3453-1387 ou 99922-6583.

A prefeitura de Caarapó está ao seu lado na luta pelo fim da violência!

Fonte: (http://www.observatoriodegenero.gov.br/menu/areas-tematicas/violencia) e https://www.naosecale.ms.gov.br/

(Texto elaborado por kamila Madureira – coordenadora de Políticas Públicas para Mulheres de Caaarapó)


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE