PUBLICIDADE
campeonato brasileiro

Grêmio e Atlético fazem jogo frustrante e empatam em 1 a 1

| R7.COM


Victor Ferraz e Keno. Muita luta. Mas pouco futebol. Empate ruim para os dois DIGUE CARDOSO/AGÊNCIA FREELANCER/FOLHAPRESS 20.01.21

Os dois times em um confronto decepcionante, empataram em 1 a 1.

Jorge Sampaoli, que chegou a surpreender Renato Gaúcho no início do confronto, acabou sendo grande decepção.

O argentino optou por abrir mão do ataque em Porto Alegre. Montou um fortíssimo esquema defensivo. Prendeu seu meio-campo. O que impedia que o Atlético explorasse seus contragolpes.

Já a equipe de Renato Gaúcho repetiu a atuação contra o Palmeiras. Time com posse de bola, mas lento na transição, insiste na troca de passes inúteis. Pouco arremata a gol. Só empatou, aos 39 minutos do segundo tempo, graças a uma jogada individual de Ferreirinha, que fez a bola sobrar para Everton chutar forte, sem chance de defesa para Everson.

O resultado faz com que o Atlético Mineiro fique a três pontos do líder São Paulo. E travou o Grêmio na sexta colocação, a seis pontos do time paulista.

Sampaoli surpreendeu Renato Gaúcho ao escalar a sua linha defensiva com quatro jogadores, mas três zagueiros, com a entrada de Júnior Alonso pela esquerda. 

Para liberar Guilherme Arana como meia-esquerda.

Renato demorou para perceber a mudança e o versátil e ofensivo lateral foi o responsável pelo lance mais importante para o Atlético.

Treinado à exaustão e já executado contra o Corinthians, no primeiro turno.

Aos 28 minutos do primeiro tempo, Keno cortou da esquerda para o meio e serviu Vargas. O chileno, sem olhar, sabia que Arana invadia a área. E tocou de calcanhar. Desesperado, Thaciano o derrubou. 

Pênalti claro.

Com personalidade, Hyoran cobrou sem chance de defesa para Vanderlei.

1 a 0, Atlético.

Sampaoli seguiu mantendo seu time marcando forte, travando a intermediária, próxima à sua área.

Não teve iniciativa para buscar definir a vitória.

O Grêmio segue muito dependente de Jean Pierre, que vive fase péssima. Assim como Pepê, individualista e preocupado com sua transferência para o Porto.

Diego Souza foi muito bem marcado, prejudicado por não ter quem o acionasse no ataque.

O jogo caminhava para a derrota gaúcha.

Até que, aos 39 minutos, Ferreirinha não quis saber de troca de bola. E tratou de improvisar, usar os seus dribles, até que travado, e a bola sobrasse para Everton empatar o jogo.

Resultado ruim para os dois.

Mereceram o castigo...


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE