PUBLICIDADE
decisão

Conmebol estima 5 mil pessoas no Maracanã para final da Libertadores

| GAZETA ESPORTIVA


Foto: Divulgação

Restando apenas uma semana para a finalíssima da Copa Libertadores, entre Palmeiras e Santos, a Conmebol divulgou nesta sexta-feira um comunicado oficial reforçando que não haverá venda de ingressos para o público. Ainda assim, cerca de 5 mil pessoas estarão credenciadas ao evento.

O limite estimado de 5 mil pessoas inclui: jogadores e comissão técnica, arbitragem, jornalistas, staff de operações da entidade, autoridades, convidados e todos os responsáveis pela realização do evento.

O número ficará abaixo dos 10% da capacidade do Maracanã, estipulado no decreto do governo do estado do Rio de Janeiro - cerca de 7,5 mil pessoas -, assinado por Cláudio Castro, govenador em exercício.

"O documento, assinado pelo governador Cláudio Castro, esclarece que não se trata de uma questão do público em geral, mas exclusivamente de pessoas credenciadas pela entidade organizadora do jogo. Assim, não há ingressos à venda para pessoas que não possuem as credenciais emitidas pela Conmebol. O acesso ao estádio será bloqueado para aqueles sem o credenciamento", publicou a entidade em nota.

O decreto também força todos os presentes ao cumprimento dos protocolos de saúde, que obrigam o resultado negativo nos testes de covid-19 antes do evento, além de distanciamento, uso de máscaras e verificação da temperatura corporal.

O comunicado serviu para reforçar que, de fato, não haverá público na decisão. No início de janeiro, a própria entidade já havia emitido um documento para anunciar o veto de torcedores.

Palmeiras e Santos decidem quem leva o troféu da Copa Libertadores da América de 2020 no próximo dia 30, às 17h (de Brasília), no Estádio do Maracanã. Em caso de empate, o confronto vai aos pênaltis.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE