PUBLICIDADE
Caarapó

Mãe e filho são encontrados mortos em fazenda na cidade de Amambai

| A GAZETA/VILSON NASCIMENTO


A Polícia Civil instaurou inquérito para apurar o assassinato de um homem e uma mulher, supostamente mãe e filho, ocorrido em uma fazenda, em Amambaí.


O crime teria ocorrido no final de semana em uma residência afastada da sede, na Fazenda Amambaí, situada às margens da Rodovia MS-485, trecho que liga Amambaí a Aral Moreira, distante cerca de 18 quilômetros da cidade, mas os corpos só foram encontrados no final da manhã dessa segunda-feira (22).


De acordo com a polícia as vítimas, que tiveram os rostos desfigurados, supostamente a pauladas, foram encontradas por moradores da propriedade rural, que acionaram a polícia. Um os corpos, o do homem, estava sobre uma cama e o da mulher caído ao lado da cama.


Identificação duvidosa


Na residência onde os corpos estavam, uma pequena casa de material, a polícia encontrou uma identidade paraguaia em nome de Maria Celestina, de 83 anos, que seria da mulher e uma certidão de nascimento, que segundo a polícia não é verdadeira, em nome de Pedro da Silva Brites, de 45 anos, que seria do homem.


Segundo o delegado encarregado pelas investigações do caso, Dr. Marcius Geraldo Cordeiro, como de princípio já se constatou que a certidão de nascimento era falsa, não se sabe ao certo se os nomes levantados no local seriam verdadeiros.


A informação que se tem é que os demais funcionários da fazenda conheciam o homem apenas por Pedro.


“Designamos uma equipe para investigar o caso, mas até o momento não temos nenhuma pista em relação ao assassino, ou assassinos. Não existem testemunhas e até mesmo os nomes das vítimas levantados até o momento não sabemos se são verdadeiros”, informou o delegado, que mantém uma equipe trabalhando no caso.


Os dois corpos foram encaminhados para o IML (Instituto Médico Legal) de Ponta Porã para a realização de exames necroscópicos.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE