PUBLICIDADE
Política

Murilo pode ser candidato em chapa independente

| DOURADOSNEWS


A formação do Bloco Democrático Reformista (BDR), representado por lideranças do PSDB, DEM e PPS e que hoje significa o principal ponto de apoio para o lançamento da candidatura nacional do tucano paulista José Serra á presidente do Brasil, deverá contar com chapas fortes e representativas em todo o País. No Mato Grosso do Sul, o nome do vice-governador Murilo Zauith, do DEM, é visto como estratégico nessa articulação, inclusive a partir de contatos já mantidos por ele com a cúpula nacional dos três partidos.
 

 

Murilo representa, de acordo com interlocutores dos partidos que formam o Bloco, a chance de uma candidatura independente e robusta. Depois de ter sido duas vezes deputado estadual, uma vez federal e estar concluindo agora o mandato no Governo como vice de André Puccinelli, do PMDB, além da candidatura natural de senador por uma das duas vagas que se abrem nas eleições deste ano, Murilo poderá até mesmo encabeçar uma candidatura majoritária do BDR.
 

Quando o governador André Puccinelli veio a Dourados, no final de semana, e sinalizou “apoio total” ao projeto de Murilo disputar uma das vagas ao Senado, mesmo reiterando o compromisso de lealdade com o fiel seguidor Waldemir Moka, do mesmo partido dele, fica evidente que pretende manter os partidos do BDR alinhados com a própria tentativa de sucessão no Governo, e não deseja correr riscos de perder o companheiro para outros partidos que vem assediando-o, entre os quais o próprio PT do ex-governador Zeca, virtual candidato a um novo mandato.
 

A disposição do vice-governador em disputar uma das vagas ao Senado viria de encontro a uma antiga reivindicação da população dos municípios do Conesul do Estado, que já tentaram outras vezes, com Totó Câmara, João Derli e Egon Krakhecke. Mas agora, a própria condição de escolha do vice ficou prá trás, já que a prefeita de Três Lagoas, Simone Tebet, parece ser a unanimidade dos sonhos de André, inclusive com o propósito dela própria vir a preencher a única vaga de candidata ao Senado daqui a quatro anos, como desejava o finado pai, o ex-senador Ramez Tebet.
 

Por isso mesmo, esse é o momento apropriado para que a população dos municípios que formam a faixa de fronteira, a região da Grande Dourados e do Conesul, e boa parte da capital do Estado e adjacências, venham a somar forças no sentido de legitimar uma candidatura capaz de algutinar esses interesses. Se o BDR está mesmo disposto a reforçar o projeto nacional de José Serra pelo PSDB e garantir espaços aos candidatos tucanos e ainda do PPS e do DEM nas demais vagas em disputa (governador, senador, deputado federal e estadual), é preciso assumir esse desafio com ousadia e determinação.
 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE