PUBLICIDADE
Caarapó

Barrichello desabafa e critica alguns "individuos do Brasil"

| TERRA


Rubens Barrichello segue incomodado com a repercussão de sua frase após o GP da Malásia ("a porcaria do nosso carro ainda não estava legal"). Após esclarecer o contexto da declaração através do Twitter, o piloto da Wiliams escreveu sobre o tema em uma coluna em seu site oficial.

O tom foi de desabafo para aqueles que levaram a frase a sério. "E não é que novamente algumas pessoas da imprensa pegaram pesado falando que falei mal da equipe. Ah, minha gente chega com isso... enquanto Karun Chandhock chega em 15º e seu país lhe bate palmas olhando o lado bom do copo, alguns indivíduos no Brasil ainda teimam em olhar o outro lado do copo e esculachar o piloto", disse.

"O que vai levar isso? O que vai mudar a vida deles? Nada...", afirmou Barrichello. "Continuarão sendo maldosos e vendedores de informações criadas e mal interpretadas. Falar mal de um político que fez seu papel mal é uma coisa, agora querer ver chuva onde não chove é completamente outra. Já estou farto desse povo da idade da pedra que não aprende nunca... ficarão velhos e verão que a vida passou rápido e que não aprenderam nada".

Barrichello também utilizou o texto para explicar a má largada em Kuala Lumpur - não é a primeira vez que o piloto sofre com inícios ruins de prova. No ano passado, por exemplo, o piloto passou por problemas semelhantes em pelo menos três oportunidades.

"Logo na largada quando soltei a embreagem o carro pulou pra ponto morto e, apesar de parecer um problema semelhante àqueles que tive na Brawn, a coisa é totalmente diferente", disse o piloto. "A Williams ainda não entendeu como que o câmbio pulou de primeira para ponto morto. Depois disso fui pé embaixo, mas não consegui ir além da 12º colocação. Uma pena... mas está valendo. O carro ainda não está bem o suficiente e precisamos achar um segundo se quisermos brigar pelo pódio na temporada".


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE