PUBLICIDADE
Caarapó

Dengue: é delicado estado de saúde de deputado Marçal Filho

| MIDIAMAX


Com o nível das plaquetas pela metade, inspira cuidados intensivos o deputado federal Marçal Filho (PMDB), internado desde o dia 1º de abril no Instituto do Coração de Dourados. A atenção se deve pelo risco da doença se tornar hemorrágica.
 

A dengue é uma doença que causa uma lesão no vaso sanguíneo e que, por isso, o principal tratamento é a hidratação.
 

No quadro clássico, a pessoa infectada tem febre alta (39ºC e 40ºC), dores de cabeça, cansaço, dor muscular e articulações, enjôos, vômitos, dor abdominal e manchas na pele. Os sintomas duram em média até 10 dias.
 

O deputado foi levado até a unidade de saúde após confirmar através de exames feitos na capital federal. Marçal Filho tinha viajado na última semana para Brasília (DF) e já apresentava sintomas da doença, de acordo com a assessoria. Internado, ele está sendo hidratado e recebe soro, procedimentos para equilibrar a saúde.
 

Na última semana o senador Delcidio do Amaral (PT) também ficou internado com a doença.
 

Plaquetas
 

A internação é necessária quando se faz o exame das contagem das plaquetas e elas estão abaixo de 50.000 mm, além disso, o paciente pode apresentar alguns sinais de alerta como dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes, hipotensão arterial. Muitas vezes, quando as pessoas apresentam esse quadro, ela está com dengue hemorrágica.
 

No começo, esse quadro da doença se assemelha com a dengue clássica, mas, depois do terceiro dia surgem hemorragias devido ao sangramento de pequenos vasos na pele e nos órgãos internos. Além disso, ela pode provocar hemorragias nasais, gengivais, urinárias, gastrointestinais ou uterinas.
 

Devido a isso, o doente acaba sendo internado para que seja hidratado e  monitorado através dos exames, como o da contagem das plaquetas, que vão mostrar como está a evolução da doença.
 

O quadro critico da doença é o denominado síndrome de choque da dengue, quando a pessoa apresenta um pulso quase imperceptível, inquietação, palidez e perda da consciência.
 

É preciso estar atento, pois com o tempo, pode haver um choque circulatório e o sangue deixa de circular prejudicando os órgãos que podem parar de funcionar e levar o paciente à morte.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE