PUBLICIDADE
Política

Professor Rinaldo reúne mais de 60 congregações em reunião na Capital

| CAARAPONEWS COM ASSESSORIA


Por: Kelly Venturini e José Carlos


O deputado estadual Professor Rinaldo recebeu no mês passado em Campo Grande aproximadamente 200 pastores e membros evangélicos de mais de 60 congregações do Estado. O evento foi realizado no salão de eventos do Hotel Concord e teve como objetivo discutir a posição da igreja diante de Projetos de Leis que estão sendo elaborados nesse século.
 

Participaram também da cerimônia o deputado estadual Reinaldo Azambuja, a vereadora Professora Rose, o pastor Sergio que também é promotor de  justiça e que tem  travado  verdadeiras batalhas na defesa dos jovens e adolescentes na capital.
  Azambuja defendeu o posicionamento do deputado Professor Rinaldo na luta contra a pedofilia e na defesa do resgate dos valores de família. “É fundamental a representação política da Igreja através de pessoas como meu amigo o Professor Rinaldo que encaram este trabalho como uma missão e o fazem com tanto empenho.”, destacou.
  Na sequencia foi feita uma breve prestação de contas foi feita pelo deputado Professor Rinaldo sobre sua atuação parlamentar nos três anos como deputado. O parlamentar  comentou sobre seus projetos, leis e o trabalho realizado na busca pela valorização do trabalho dos pastores do Estado.
  Sobre o trabalho junto ao Fórum Evangélico Nacional de Ação Social e Política (FENASP), Rinaldo comentou sobre as importantes ações que vem realizando em sintonia com lideranças políticas e religiosas de todo País lutando contra projetos que, segundo comentou, abrem precedentes para a destruição dos lares e dos valores de família.
  “Venho acompanhando de perto a tramitação de projetos como o que pede a liberação do uso da maconha, defendido até por um Ministro, o que pretende instituir a união civil entre pessoas do mesmo sexo e o projeto 122/2006 que pune a discriminação contra homossexuais. Entendo que  o projeto é inconstitucional, e a Constituição Federal estabelece, no art. 5º que, primeiramente, homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, de modo que a Constituição não reconhece um terceiro gênero, o homossexual”, explica.
  O deputado lembrou-se dos comentários do senador Magno Malta que acredita que a aprovação do PLC 122 também trará outras conseqüências desagradáveis à sociedade, como a prisão de comerciantes, de artistas, de humoristas, juízes, médicos, donos de imóveis, entre outros e que ela fere a liberdade religiosa no País. “ Fiquei  emocionado ao comentar uma recente visita que fiz ao interior, onde uma senhora o procurou para falar dos problemas que enfrenta desde que descobriu que sua filha sofreu abusos”, disse.
  A reunião contou também com uma apresentação de um vídeo que discute temas como a pedofilia, eutanásia e infanticídio em aldeias indígenas. Ao final Rinaldo pediu a todos que não se fizessem alheios a aqueles problemas, e que não só orassem, mas também agissem pregando em seu trabalho diário a importância do dialogo e do cuidado com as crianças e adolescentes. “Orem, conscientizem e denunciem. Isso é um problema de todos nós” completou.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE