PUBLICIDADE
Caarapó

Homem mata mulher a pauladas e enterra em sítio em Amambai

| A GAZETA/VILSON NASCIMENTO


Uma ação conjunta envolvendo policiais civis e militares resultou na prisão, nessa terça-feira (6), de um homem de 34 anos, acusado de matar e enterrar uma mulher em Iguatemi.


O crime teria ocorrido na tarde de domingo, dia 4, mas o corpo da vítima, Leonilda Lopes da Silva, de 45 anos, mais conhecida como “Perereca”, só foi encontrada na manhã dessa terça-feira.


O Caso


De acordo com a polícia, Leonilda estaria desaparecida e as principais suspeitas do desaparecimento sobre caíam sobre o caseiro Valdeci Nogueira Moraes, de 34 anos, com quem a vítima estaria mantendo um relacionamento.


Diante das suspeitas, o delegado encarregado pelas investigações do caso, Dr. Hudson Parra Miranda, titular da Delegacia de Eldorado, que responde pela Delegacia de Polícia Civil de Iguatemi, solicitou, junto a Justiça, um mandado de busca e apreensão na casa do suspeito, que reside em um sítio situado na saída para Eldorado, a aproximadamente três quilômetros da cidade, em Iguatemi.


Com o mandado em mãos, nessa terça-feira, policiais civis em militares se deslocaram para o local. Enquanto a equipe realizava vistorias na residência, os policiais começaram a indagar Valdeci Moraes, que acabou confessando espontaneamente o crime e inclusive levou os policiais até onde havia enterrado o corpo da mulher, uma plantação de eucalipto, situado em um sítio vizinho, a cerca de 600 metros da residência do autor.


“Matei porque ela estava pegando no pé”, disse autor


De acordo com a polícia, após confessar o crime, Valdeci Moraes teria relatado aos policiais que matou a mulher porque ela estava “pegando no pé” dele.


Segundo a versão do acusado, após manter um romance rápido, que ele não queria mais dar continuidade, “Perereca” continuava insistindo em prosseguir.


Injuriado com a situação, após ser procurado, mais uma vez pela vítima, na tarde de domingo, 4 de abril, ele teria se apoderado de um pedaço de madeira e desferido pelo menos três golpes contra a cabeça da mulher.


Após matar a vítima, Valdeci teria carregado o corpo de Leonilda por cerca de 600 metros e enterrado em uma cova de aproximadamente 20 centímetros, com todos os pertences da mulher, inclusive o aparelho celular e a carteira com a documentação.


Homem foi autuado por ocultação de cadáver


Conduzido para a Delegacia de Polícia Civil de Iguatemi, Valdeci Nogueira Moraes foi indiciado em inquérito por homicídio qualificado e autuado em flagrante pelo crime de ocultação de cadáver.


Por conta da violência do crime, o delegado encarregado pelo caso, Dr. Hudson Parra Miranda, também representou pela prisão preventiva de Valdeci pelo crime de homicídio qualificado.


O pedido foi acatado pelo Juiz de Direito da Comarca de Iguatemi, Dr. Eduardo Lacerda Trevisan e ainda nessa terça-feira a prisão do acusado foi decretada pela Justiça.


Ele permanece preso na cadeia pública de Iguatemi, situada anexa a Delegacia de Polícia Civil local, onde está à disposição da Justiça.


Valdeci foi acusado de matar fazendeiro


Essa não é a primeira vez que Valdeci Nogueira Moraes é preso pela Polícia Civil sob suspeita de praticar homicídio em Iguatemi.


Em 2007 ele havia sido preso sob acusação de matar, a golpes de enxada, o produtor rural, Wilton Dias de França, de 56 anos, residente em Altônia no Paraná.


O crime aconteceu em uma fazenda pertencente à vítima, situada no município de Iguatemi, onde Valdeci Moraes trabalhava há 10 anos como capataz.


Na ocasião a Polícia Civil de Iguatemi chegou a prender o acusado, que negava a autoria do crime e no período que ele estava na cadeia, sua esposa, Matilde Nunes Aguero de 28 anos, com a qual o acusado tinha uma filha de 12 anos, acabou se suicidando.


Há exato um ano, o capataz foi levado a julgamento pela morte do fazendeiro, mas acabou absolvido pelo júri popular.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE