PUBLICIDADE
campo grande

Denunciado no WhatsApp, golpista é preso ao tentar sacar R$ 12 mil com CNH falsa

Para a polícia, a funcionária de 48 anos contou que o suspeito tentou receber R$ 12.046,10 de FGTS e entregou a ela uma CNH

| CAMPO GRANDE NEWS


Tentativa de golpe aconteceu em uma agência da Caixa Econômica Federal (Foto: Marcos Maluf)

Estelionatário identificado como Bruno Henrique de Sales Benites, de 31 anos, foi preso em flagrante ao tentar sacar mais de R$ 12 mil de FGTS com documento falso em agência da Caixa Econômica Federal, na Avenida Eduardo Elias Zahran, nesta segunda-feira (14). Ele foi descoberto após funcionários reconhecerem ele em foto publicada nos grupos do WhatsApp com mensagens de alerta para golpe.

Para a polícia, a funcionária de 48 anos contou que o suspeito tentou receber R$ 12.046,10 de FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) e entregou a ela uma CNH (Carteira Nacional de Habilitação). Ao pegar o documento notou algo errado e percebeu que a película de segurança havia sido retirada, resolveu tentar ler código de resposta rápida do documento, mas não conseguiu. Pediu então ajuda de um colega.

Enquanto conversava sobre as suspeitas, o outro funcionário lembrou que dias antes circulou fotos de um golpista nos grupos de WhatsApp de atendentes da Caixa. Eles chegaram a verificar o documento com as fotos enviados no aplicativo e viram que era a mesma pessoa, mas com dados diferentes.

Para verificar de vez, ela pediu então outro documento, mas o suspeito afirmou que não tinha. Um policial civil que estava no local ajudou na prisão em flagrante e a Polícia Militar foi chamada. Diante da situação, Bruno acabou confessando o crime. Explicou que era a segunda vez que usava o documento falso e que na primeira vez conseguiu R$ 2 mil.

Na delegacia, Bruno contou que encontrou a CNH caída na rua, em frente a um colégio, no dia 10 de junho. Nesse dia se lembrou de um vídeo visto no Youtube que ensinava a apagar os dados do documento com álcool para poder colocar outros nomes. Com essa ideia na cabeça, pesquisou na internet pessoas que teriam direito a receber FGTS com o nome parecido com o seu e encontrou “sua vítima”.

Conferiu o nome do “xará” no aplicativo do FGTS e viu que tinha mais de R$ 12 para receber. Com os dados dele na mão, apagou os que estavam no documento e substituiu os número e o nome, também trocou a foto por uma sua e foi até a agência, onde acabou surpreendido e preso.

Em depoimento Bruno relevou que no mês passado conseguiu sacar R$ 2.300 de outra pessoa após conseguir os dados dela na internet e mandar falsificar um RG com homem conhecido como Paulista.

Nesta manhã, durante audiência de custódia, o juiz entendeu que haviam provas suficientes para decretar a prisão preventiva de Bruno. Os golpes agora são investigados pela Polícia Civil. 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE