PUBLICIDADE
Geral

Padrasto diz que agrediu menina até a morte por vingança

| CAMPO GRANDE NEWS


Para se vingar da companheira, Valdir Coronel, 20 anos, agrediu a menina Luana, 2 anos, que morreu em decorrência do espancamento na manhã de terça-feira, em Anastácio.


Em depoimento ao delegado titular de Anastácio, Evandro Luiz Banheti Corredato, ele afirmou que a mãe da menina, de 28 anos, ameaçava colocar fim ao relacionamento, caso Coronel fosse trabalhar em São Gabriel do Oeste.


Segundo o delegado, ele admite ter agredido a menina por três vezes, no entanto, alega que não tinha a intenção de matar a criança.


Coronel revelou que na noite de segunda-feira deu duas surras em Luana, uma das vezes na presença da mãe da menina.


Já na manhã de terça-feira, ele ficou sozinho com a criança e repetiu o espancamento.


“Ele admite que bateu com violência”, completa o delegado.


Durante o depoimento prestado ontem à tarde, Coronel chorou muito e disse que a mãe da menina não tentou impedir a agressão.


Já a mãe de Luana afirma que também apanhou do atual companheiro, que é irmão do pai da criança.


Linchada - A mãe de Luana deixou a cidade na tarde de ontem, depois do sepultamento.


Ela acionou a PM (Polícia Militar) para escoltá-la até a rodoviária de Anastácio, de onde seguiu para Guia Lopes da Laguna, cidade em que o pai da menina mora.


A mulher temia ser linchada. No sepultamento de Luana havia rumores de que ela poderia ser agredida.


Valdir Coronel teve prisão preventiva decretada e foi transferido para a delegacia de Aquidauana.

 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE