PUBLICIDADE
capital

Coronel flagrado em frente da casa da ex é preso ao descumprir medida protetiva

A autônoma de 41 anos e coronel foram casados por dois anos e meio, mas se separaram no fim de maio

| CAMPO GRANDE NEWS


Coronel será levado ao Presídio Militar e vai passar por audiência de custódia hoje (Foto/Kisie Ainoã)

Coronel da ativa do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul, de 54 anos, foi preso em flagrante, ontem, ao descumprir medida protetiva pedida pela ex-mulher, vítima de agressões físicas. Ele estava em frente da casa dela e tentou fugir ao ver a aproximação da Guarda Civil Municipal.

O coronel foi levado ao Presídio Militar e deve ser submetido à audiência de custódia hoje à tarde, às 14h. O nome dos envolvidos não será divulgado para preservar a vítima.

O caso foi divulgado pelo Campo Grande News no dia 10 de junho, quando a reportagem a encontrou na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) onde passou a noite, com medo do ex.

A autônoma de 41 anos e coronel foram casados por dois anos e meio, mas se separaram no fim de maio. Ela relatou agressões sofridas, como a que aconteceu no dia 17 de março de 2020, quando foi estapeada no rosto a cabeça prensada contra a parede. Naquela ocasião, estava acamada, se recuperando de cirurgia, e não registrou boletim de ocorrência.

Porém, depois disso, procurou a Polícia Civil e registro ocorrência em agosto de 2020, mas ainda não havia se separado. Outra denúncia foi feita no dia 24 de maio deste ano, já após a separação, sendo pedida a medida protetiva.

De acordo com informações da Deam, no dia 1º de junho, o coronel foi intimado da decisão judicial, de que não poderia se aproximar da ex-mulher, mas descumpriu a ordem no dia 9 de junho. Ontem (29), novamente infringiu a decisão.

Segundo a Deam, ontem, casal que presta serviços para a autônoma avisou que o coronel estava na rua, em frente da casa. Ela saiu na porta, acompanhada dos dois e flagrou o coronel no local. Em seguida, acionou a Guarda Municipal, que chegou em cerca de 15 minutos.

No relato feito à polícia, o coronel começou a caminhar quando viu os guardas, tentando fugir, mas foi preso uma quadra de distância do local.

Brigas - Segundo ela, uma das brigas teve como causa o presidente Jair Bolsonaro. “Ele é Bolsonaro roxo. Eu sou contra e dentro de casa era ele quem mandava, eu não podia opinar em nada”, lamentou. Depois das agressões, ele pedia desculpas. "Continuamos juntos porque ele prometeu que não ia mais me agredir, mas não tem jeito. Ele é agressivo”, disse. 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE