PUBLICIDADE
Caarapó

Maior praça esportiva da região, Douradão encontra-se abandonado

| CAARAPONEWS


Waldemar Gonçalves - Russo - especial para o CaarapoNews

Largado ao léu, o estádio Fredi Saldivar, o “Douradão”, que no início da década de 90 foi considerado pela Placar, uma das revistas esportivas mais importante do país, como uma das mais modernas praças para a pratica do futebol, agoniza sob os olhos da atual administração municipal, no entanto, os problemas a bem da verdade surgiram com a anterior.
 

Vetado para sediar jogos tanto amador como profissional pelo MPE (Ministério Público Estadual) sob argumento de que não atende as normas de segurança do estatuto do torcedor, o “Douradão” hoje se encontra abandonado e serviu até mesmo para ser um depósito de pneus usados, menos para sediar jogos do Sete de Setembro pelo Campeonato Estadual de futebol profissional.
  Por outro lado, na manhã de hoje a TV Morena, filiada a Rede Globo, através de uma reportagem elaborada pelo repórter Lucas de Senna retratou a triste realidade em que se encontra uma das maiores praças esportivas de Mato Grosso do Sul.
  Na reportagem, consta que a segunda maior cidade do Estado não pode sediar jogos profissionais, simplesmente porque a Prefeitura Municipal em pelo menos duas promessas desde o ano passado, não cumpriu a obrigação de colocar o estádio em condições de sediar jogos tanto amador como profissional.
  Com a aproximação do campeonato da categoria Sub-18 que dará a equipe campeã e a vice o direito de representar o Mato Grosso do Sul na Copa São Paulo de futebol júnior do ano que vem, o presidente do Ubiratan Esporte Clube, Joaquim Soares, disse ter ainda um fio de esperança para que o “Douradão” passe pelas adequações necessárias para que tanto o seu clube como o próprio Sete de Setembro possam mandar seus jogos da seletiva no estádio. “É lamentável termos dois estádios e nenhum deles oferecer condições para que nossas equipes possam jogar em jogos oficiais”, disse Joaquim Soares se referindo ao estádio da LEDA (Liga Esportiva Douradense de Amadores) e o próprio Fredi Saldivar.
  Joaquim Soares lembra que um amplo levantamento de custo estimado em 220 mil reais para a reforma do “Douradão” foi encaminhado ao governador André Puccinelli (PMDB) pelo deputado Zé Teixeira (DEM), no entanto, pelo menos até a manhã de hoje não houve resposta se o Governo do Estado iria ou não investir na reforma do estádio.
  Ainda na entrevista levada ao ar no Bom Dia MS desta manhã de terça-feira, o atual diretor-presidente da Funced (Fundação Cultural e Desportos) Leandro Francisco contou que houve licitações para que as reformas fossem feitas no estádio, no entanto, as empresas que se apresentaram com as cartas convites para concorrer apresentaram problemas nas documentações. “Estimamos que com 100 mil reais deixaremos o estádio em condições de receber os jogos para o 2º semestre. Acreditamos que em breve as adequações no estádio serão realizadas”, disse o diretor-executivo na entrevista.
  Ainda na entrevista, diversos jogadores que atuam no Sete de Setembro no estadual do futebol profissional, mais que podem disputar a seletiva para tentar conquistar uma das duas vagas para a Copa São Paulo, disseram esperar fazer os jogos de sua equipe no estádio “Douradão”, uma vez que segundo eles, além de realizarem o sonho de jogar no estádio, também acreditam que o fator campo somado a torcida da cidade poderão ser positivos nos confrontos com as equipes que estarão competindo, principalmente os da Capital que são os maiores rivais.                        

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE